Venezuela compra empresa de eletricidade da americana CMS Energy Corporation

13 fevereiro 17:34 2007

A estatal Petroleos de Venezuela PDVSA assinou nesta terça-feira um memorando de entendimento para comprar a empresa americana de energia elétrica Ceneca, de propriedade da americana CMS Ebergy Corporation, por 105,5 milhões de dólares.
 
O memorando foi assinado pelo ministro de Energia e Petróleo, o presidente da PDVSA, Rafael Ramírez, e o vice-presidente da CMS Energy Corporation, Joseph Tomasik, no Palácio presidencial de Miraflores.


Segundo Ramírez, a compra faz parte do ‘compromisso’ assumido pelo governo do presidente Hugo Chávez ‘do controle estatal das empresas estratégicas de petróleo e energia elétrica’.


‘Estamos assinando este documento para dizer que a PDVSA e a CMS entraram no acordo sobre a venda de todas as ações e ativos da CMS na Ceneca por 105,5 milhões de dólares’, anunciou Ramírez A empresa possui 120.000 clientes na Ilha de Margarita, no estado insular venezuelano de Nueva Esparta, onde está localizada.


A companhia defendeu sua eficiência ao afirmar que a duração média das falhas elétricas caiu 83% de 1999 para cá, quando começou a operar sob controle americano, disse Tomasik ao ler um comunicado durante o ato.


‘A Ceneca, que vem se envolvendo em programas sociais do governo, tem 315 funcionários comprometidos com o mais alto nível de qualidade e serviço’, acrescentou.


Como parte das nacionalizações desta indústria, em 8 de fevereiro, a Venezuela e a multinacional americana AES assinaram um memorando para que o Estado compre 82,14% das ações da companhia Electricidad de Caracas (EDC) por 739 milhões de dólares.


O governo também tomará o controle acionário da indústria telefônica e das quatro Associações Estratégicas da PDVSA que operam na Faixa Petrolífera do Orinoco (sul).


Em 1º de fevereiro, o presidente Hugo Chávez anunciou que ‘uma das prioridades é a nacionalização do setor elétrico (…) foi um erro garrafal ter privatizado’ estas empresas.
Segundo ele, a medida envolve a Eletricidade de Caracas e suas filiais em quatro estados (Yaracuy, Vargas, Miranda e Falcón), ‘tudo isso vai ser nacionalizado’.


Além disso, serão nacionalizadas as companhias privadas de eletricidade: Ceneca, de Nueva Esparta, Elebol, de Ciudad Bolívar, Eleval, de Valencia, Calife, de Puerto Cabello, e Turboven, de Maracay.


‘A medida de nacionalização requer a promulgação de uma lei específica e a modificação da lei orgânica do setor elétrico vigente’, afirmou Chávez, que goza de plenos poderes do Congresso para legislar por decreto.


Na noite desta segunda-feira, o governo da Venezuela assinou um memorando de entendimento com a companhia americana Verizon Communications para a compra de 28,51% de suas ações na telefônica CANTV por 572 milhões de dólares.

  Categorias: