CUT reivindica votação aberta e nominal sobre veto à emenda 3

21 março 15:17 2007

A CUT (Central Única dos Trabalhadores) vai pressionar o Congresso Nacional para que a apreciação do veto presidencial à emenda 3 seja feita através de voto aberto e nominal. A CUT defende a manutenção do veto.


Com este objetivo, a Central encaminhou na terça, dia 20, ofício aos presidentes do Senado Federal, Renan Calheiros (PMDB-AL), e da Câmara dos Deputados, Arlindo Chinaglia (PT-SP), formalizando a reivindicação.


A votação do veto à emenda 3 deve ocorrer nos próximos 30 dias, em sessão conjunta. Se a reivindicação da CUT não for atendida, o processo vai ocorrer em escrutínio fechado, o que contraria a transparência tão necessária – e defendida – nas decisões que impactam a vida da sociedade.


A CUT quer a manutenção do veto porque a emenda 3 ataca direitos elementares dos trabalhadores. Caso o veto seja derrubado, os empregadores terão ainda mais facilidades do que já encontram hoje para transformar seus funcionários em pessoas jurídicas e assim deixar de pagar 13º salário, férias remuneradas, FGTS, vale-transporte, vale-refeição e assistência médica. E, depois de eliminarem todos esses direitos trabalhistas, continuarem pagando os mesmos salários.


No campo, a emenda prejudicaria ainda mais a fiscalização sobre os latifundiários que exploram mão-de-obra análoga ao trabalho escravo. (Isaías Dale)

  Categorias: