Emprego tem desempenho positivo em todos os setores da economia

28 março 14:34 2007

O Brasil gerou, em fevereiro, 148.019 empregos com carteira assinada, o que representa um crescimento de 0,53% em relação ao mês anterior, segundo os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados hoje (27) pelo ministro do Trabalho e Emprego, Luiz Marinho. Todos os setores da economia apresentaram desempenho positivo e, em termos geográficos, o Sudeste foi a região com maior expansão de postos de trabalho.


Entre os setores com maior geração de empregos, o destaque é o de serviços, que criou 62.828 novos postos em fevereiro. A expansão é atribuída a fatores sazonais, como o início do ciclo escolar, e a atividades ligadas ao turismo, especialmente os serviços de alojamento e alimentação.


Em seguida vem a indústria de transformação, responsável pela geração de 30.792 empregos. Os ramos que sobressaíram foram os da borracha (+ 6.440 postos), da metalurgia (+5.625 postos), o têxtil (+ 4.957 postos) e o de calçados (+4.157 postos). O resultado do setor é o segundo maior do período, abaixo apenas do de fevereiro de 2004 (+ 38.086 postos).


‘O bom desempenho da indústria de transformação, também registrado no último mês de janeiro, é bastante positivo. É um segmento que puxa a economia e, portanto, sinaliza que estamos indo bem’, disse o ministro, lembrando que ainda é cedo para fazer uma previsão sobre o setor para este ano.


A Agropecuária gerou 21.973 novos empregos, número só superado em fevereiro de 2006 (+ 24.360 postos). Para Marinho, isso indica uma recuperação do setor, que passou por uma crise em 2005 e, desde o ano passado, vem se destacando na geração de postos de trabalho. O saldo de fevereiro de 2007 é alavancado pelas atividades relacionadas ao cultivo da cana de açúcar, indústria sucroalcooleira e outros produtos da lavoura permanente, como maçã, maracujá e banana, no Centro-Sul do país.


O total de empregos criados em janeiro e fevereiro deste ano equivale ao segundo melhor desempenho da série histórica do Caged, iniciada em 1992. Somente no bimestre de 2006 o número foi maior: 263.248 vagas abertas. Nos últimos 12 meses, 1.218.925 empregos foram gerados.


Entre as regiões, o Sudeste lidera com a criação de 110.306 postos; o Sul está em segundo lugar, com a geração de 42.283 postos, seguido da Região Centro-Oeste (+17.479) e Norte (+ 4.757 postos). A Região Nordeste, em função do fim da safra de cana de açúcar, ainda apresenta redução no número de empregos (- 26.806 postos).


São Paulo (+ 83.410 postos), Minas Gerais (+ 17.452) e Santa Catarina (+ 14.683) são os estados que mais abriram postos de trabalho, enquanto Pernambuco (-16.188 postos) e Alagoas (-10.897 postos) reduziram o número de trabalhadores com carteira assinada.


As nove principais áreas metropolitanas (BA, CE, MG, PA, PE, PR, RJ, RS e SP) geraram 51.263 postos, e São Paulo é o destaque, com a criação de 30.300 empregos. Em fevereiro, a elevação do emprego nos aglomerados urbanos foi menor do que no interior (+73.081) por influência positiva das atividades agroindustriais, especialmente da cana de açúcar. O interior de São Paulo também foi responsável pela maior geração de empregos (+52.110).


Mais informações: http://estatistica.caged.gov.br

  Categorias: