Rejeitada a proposta da Potencial. Mobilização é na segunda (02)

30 março 10:37 2007

Nesta segunda (02/04), os trabalhadores da Potencial, em Rio Claro, da base do Sinergia CUT, fazem uma mobilização de meio período. As reivindicações são pela reabertura das negociações da Campanha Salarial 2007 e por um Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) justo e digno. Essa manifestação faz parte do Plano de Lutas – aprovado pelos trabalhadores em assembléia – que prevê mobilizações gradativas.


Apesar de o Sinergia CUT ser uma entidade que prioriza a mesa de negociação para se chegar a um acordo com as empresas, nesse caso da Potencial a implementação do Plano de Lutas se faz necessária porque, depois de três rodadas de negociação e duas propostas rejeitadas, não houve possibilidade de acordo entre a empresa e os trabalhadores.


A última reunião com a direção da Potencial ocorreu no dia 27 passado quando, apesar de a empresa melhorar a proposta e justificar que estava no limite do negociável, os trabalhadores não se sentiram contemplados em suas reivindicações principais e, por isso, rejeitaram a proposta na assembléia realizada na manhã desta sexta-feira (30/03).


A proposta
Para começar, a Potencial quer vigência de um ano para o novo Acordo Coletivo. O Sinergia CUT, legítimo representante dos trabalhadores nas negociações, reivindica três anos, até 2010. No econômico, a proposta final da Potencial é de 2,9% de reajuste salarial e 0,87% de aumento real (totalizando um índice de 3,8%). O Sindicato reivindica reajuste de 2,9% (ICV do Dieese) mais 5% de aumento real nos salários.


Com licença, eu vou à luta!
Com esse mote, os trabalhadores da Potencial vão à luta e fazem a mobilização nesta segunda (02). Na real expectativa de reabertura das negociações e/ou por um julgamento justo do dissídio, uma vez que a primeira audiência está marcada para a terça-feira (03), no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 15ª Região, em Campinas.

  Categorias: