CPFL: de novo, passando por cima da lei

11 maio 16:48 2007

Em outro ataque que desrespeita determinação judicial e prejudica trabalhadores, CPFL desconta ilegalmente imposto sindical de filiados ao Sinergia CUT


Assembléias da semana que vem decidem próximos passos


Em mais uma atitude arbitrária e ilegal, a CPFL Energia desrespeitou novamente a liminar judicial que impede o desconto do imposto sindical de todos os trabalhadores da base  territorial do Sindicato. Chamado oficialmente de ‘contribuição’, o imposto é compulsório e desconta um dia de trabalho de todos os trabalhadores brasileiros anualmente, sempre no mês de março.


Há dezesseis anos, sempre apostando na autosustentação financeira, o Sindicato recorre à Justiça e conquista liminar para impedir que os eletricitários paguem mais um imposto indevido, que serve apenas para sustentar entidades de gaveta.  


Atitude ilegal
Apesar disso, pelo segundo ano consecutivo a CPFL Energia rasga a liminar judicial e desconta indevidamente o imposto de trabalhadores filiados ao Sindicato. O pretexto da empresa é vazio e questionável: os trabalhadores seriam ‘categorias diferenciadas’.


De novo, desrespeita a lei, discrimina e prejudica financeiramente os trabalhadores, apostando na divisão e no enfraquecimento da categoria. Pior: com uma manobra judicial deposita em juízo o valor do desconto  esperando que a Justiça determine para onde vai o dinheiro.


Reação legal
Assim que soube do desconto indevido, o Sindicato já comunicou oficialmente  à Justiça  sobre o descumprimento da determinação, solicitando ainda a aplicação da multa prevista.


Resistência política
Mas, para impedir que os trabalhadores sejam mais uma vez prejudicados pela CPFL, a direção do Sindicato entende que é preciso ressarcir o prejuízo financeiro que a empresa provocou, concedendo isenção de duas mensalidades aos filiados.


E ainda, para dar uma demonstração de união e solidariedade entre os trabalhadores, decidiu também entrar com ação coletiva contra a CPFL por descumprimento de determinação judicial.


Assembléias decisivas
Assim, nas assembléias que acontecem a partir da próxima segunda-feira (14), os trabalhadores vão tomar  decisões importantes: autorizar a isenção de duas mensalidades para os companheiros que foram prejudicados e autorizar o Sindicato a travar mais uma batalha jurídica contra a CPFL. Participe! É preciso demonstrar força e unidade para resistir aos ataques e ilegalidades que a direção da CPFL está tentando impor aos trabalhadores.  

  Categorias: