CPFL passa por cima da lei

11 maio 14:26 2007

Após a publicação do Acórdão do TRT (Tribunal Regional do Trabalho), o Sinergia CUT tinha a expectativa de que a CPFL começasse a efetuar o pagamento da Nota de Despesa de Viagem (NDV) a todos os trabalhadores que viajam, cumprindo sua obrigação legal.


O prazo determinado para oa volta do pagamento desse direito começou na última segunda-feira (07). Foi aí que, mais uma vez,  percebeu-se a vocação da empresa para burlar decisões judicais e ignorar os direitos dos trabalhadores.


Discriminação ilegal


Informações apuradas pelo Sinergia CUT dão conta que a CPFL vem  promovendo uma ilegalidade e praticando uma discriminação, pois os companheiros de Araraquara, Ribeirão Preto, Bauru e São José do Rio Preto não estão recebendo a NDV.
Coincidência ou não, são locais que abrigam os ‘famosos’ sindicatinhos, reconhecidos como especialistas em atrapalhar os trabalhadores e prejudicar a categoria.


Denúncia de descumprimento


A empresa, por sua vez, nada explica ou justifica para prejudicar tantos trabalhadores. Para exigir que a empresa cumpra a lei, o Sinergia CUT já tomou a decisão de encaminhar à Justiça uma denúncia de Descumprimento de Ação Judicial. Os trabalhadores não podem continuar no prejuízo.


Não custa lembrar: a sentença da 2ª turma do TRT, prevê, em caso de descumprimento legal, a aplicação de multa de R$ 1.000 por dia, com reversão ao FAT. 


O Sindicato fará tudo para garantir que a CPFL cumpra o que manda a lei, respeite todos os trabalhadores e pague devidamente um direito legal e legítimo. Sem discriminação.


Recomendação do Sindicato


Além disso, a partir de agora, o Sinergia CUT recomenda a todos os ttrabalhadores que sigam o procedimento correto para garantir o ressarcimento das despesas de viagem: peçam todas as notas e entreguem aos superiores.


Outras informações sobre a questão do Imposto Sindical e dissidios coletivos encaminhados pela CPFL pela TRT você confere no boletim do Sinergia CUT




  Categorias: