CPFL Energia: vendas maiores, aquisições e Campos Novos influenciam resultado

14 maio 18:23 2007

Mercado total, incluindo consumidores livres, cresceu 4,1% de janeiro a março deste ano, enquanto mercado livre teve queda de 24,9% nas vendas


A CPFL Energia deve os bons resultados do primeiro trimestre a três fatores: às aquisições da Companhia de Luz e Força Santa Cruz (SP) e de participação de 32,61% na RGE (RS); às maiores vendas de energia no período; e à entrada em operação da hidrelétrica Campos Novos (SC, 880 MW). Os eventos estão interligados porque o aumento de 13,4% das vendas no mercado cativo é debitado à entrada da Santa Cruz e da integralidade da distribuidora gaúcha no grupo. A usina de Campos Novos aumentou a participação da geração no Ebtida da holding para 14%.


‘As aquisições conferem valor à companhia sem aumentar consideravelmente os custos como da compra da energia’, resumiu Wilson Ferreira Jr., presidente da CPFL Energia, em teleconferência com analistas nesta quinta-feira, 10 de maio. As vendas de energia no mercado cativo cresceram 13,4%, influenciada pelos dois novos ativos do grupo. Considerando apenas o crescimento vegetativo da área de concessão do grupo, a expansão foi de 3,3% no primeiro trimestre.


O mercado total, incluindo os consumidores livres, cresceu 4,1% de janeiro a março deste ano. O mercado livre teve queda de 24,9% nas vendas de energia no período, devido a redução da quantidade vendida. Ferreira Jr ressaltou que as margens do negócio de comercialização não foram afetadas pela redução nas vendas. A CPFL Brasil registrou aumento de 11% no lucro do trimestre para R$ 75,835 milhões. O Ebtida cresceu 12,9% para R$ 113 milhões.


A área de distribuição fechou o trimestre com lucro de R$ 348,195 milhões no trimestre, com alta de 71,4%. O Ebtida do segmento aumentou 42,3% em R$ 635,6336 milhões. A CPFL Energia deve agregar em breve os resultados do grupo CMS Energy Brasil, adquirido em abril passado por US$ 211 milhões. O conglomerado inclui quatro distribuidoras – Jaguari, Mococa, Paulista, Sul Paulista -, além de interesses em geração e prestação de serviço. ‘Aguardamos a avaliação dos órgãos reguladores, principalmente, a Aneel’, acrescentou Ferreira Jr.


A CPFL Energia registrou aumento de 54,5% no lucro líquido do trimestre, ficando em R$ 473 milhões. A receita líquida teve alta de 18,2%, indo para R$ 2,153 bilhões contra R$ 1,821 bilhão no período de comparação. Segundo Ferreira Jr, a receita líquida evoluiu devido ao aumento das vendas totais de energia em 4,1%; dos reajustes das distribuidoras; e aumento de 29% na receita da Tarifa de Uso dos Sistemas de Distribuição. (Alexandre Canazio)

  Categorias: