CPFL Energia elege novo Conselho de Administração

15 maio 12:18 2007

Sem a participação de representante dos trabalhadores, acionistas elegem o novo CA em Assembléia Geral Ordinária (AGO) realizada em 10 de abril passado


A CPFL Energia divulgou nesta terça-feira (15) a ata da assembléia Geral Ordinária que ocorreu no último mês de abril. A Ordem do Dia da AGO foi:
a. Discutir e votar as demonstrações financeiras da Cia
b. Aprovar a proposta de destinação do lucro líquido de 2006 (R$ 1.404.095.954,64)
c. Eleição do novo Conselho de Administração da Cia e fixação da remuneração dos administradores
d. Eleição do Conselho Fical


Para o Conselho de Administração foram eleitos os seguintes membros:


*Luiz Aníbal de Lima Fernandes (titular)
Daniela Corsi Cardoso (suplente)


Francisco Caprino Neto (titular)
José Florência Rodrigues Neto (suplente)


Otávio Carneiro de Resende (titular)
Nelson Koichi Shimada (suplente)


*Cecília Mendes G. Siqueira (titular)
Rivali Trevisan (suplente)


Milton Luciano dos Santos (titular)
Eduardo Fernando Braga (suplente)


Martin Roberto Giogo Wsky (titular)
Carlos Alberto C. Moreira (suplente)


Ana Dolores M. C. de Novaes (conselheira independente)


Remuneração Global anual de até R$ 1.828.610,00


Obs: na 96ª Reunião do Conselho de Administração realizada em 25 de abril de 2007, foram eleitos Luiz Aníbal como presidente do CA e Cecília Mendes como vice-presidente.



Para o Conselho Fiscal foram eleitos os seguintes membros:


Paulo Midena (titular)
Elaine Correia Aguirre (suplente)


Fernando Dias Gomes (titular)
Marcelo Palmeira dos Santos (suplente)


Eneias de Assis R. Ferreira (titular)
Claudionor Francisco Barbosa (suplente)


Francisco Djalma de Oliveira (titular)
Dagildo de Jesus Rodrigues (suplente)


Suzana Rana S. Jabra (titular)
Roberto Henrique Gremier (suplente)


A remuneração de cada membro do Conselho Fiscal não pode ser inferior a 10% da remuneração de cada diretor executivo em média.


O ‘passa-moleque’ nos trabalhadores da CPFL


O Sinergia CUT lamenta que, mais uma vez, a CPFL tenha optado pela não indicação do representante dos trabalhadores no Conselho de Administração da holding. O fato de manter a representação dos trabalhadores apenas nas empresas subsidiárias, como na Paulista (incluindo Geração e Brasil) e na Piratininga, torna evidente a intenção de apenas fazer cumprir a lei, já que estes conselhos são ratificadores das decisões tomadas pela holding.

  Categorias: