Grupo Rede apresenta proposta final

21 maio 09:35 2007

Na quinta rodada de negociação entre o Sinergia CUT e dirigentes do Grupo Rede, realizada na última sexta (18), em São Paulo, a empresa apresentou sua proposta final.


O Grupo manteve  a proposta de reajuste salarial de 4,6%, sendo que a inflação é de 3,3%,  medida pelo INPC/IBGE e um aumento real de 1,26%. A alegação para não se mexer nos índices é porque a empresa adotou o mesmo critério nas negociações com a CELPA e CELTINS.


No Vale-Refeição, o valor facial do tiquete será reajustado de R$7 para R$ 9, o que representa um reajuste de 28,57%. A elevação do vale-refeição só foi possível após intenso debate em que o Sinergia CUT apresentou pesquisa apresentada pela  Associação das Empresas de Refeição e Alimentação de Convênio para o Trabalhador e que demonstrou o custo médio da alimentação fora do domícilio no estado de São Paulo.


O piso salarial será unificado nas empresas da região sul/sudeste passando para R$ 670. Isso representa um aumento que varia de 8,32% a 20%, o que beneficia 39 trabalhadores.


O auxílio-creche passará de R$ 185 para R$ 200, o que representa aumento de 8,11%, o que beneficia 50 trabalhadoras.


A empresa apresentou  um demonstrativo em que 81% dos trabalhadores  são cobertos pelas rede de farmácias próprias ou conveniadas pela Unimed, o que possibilita descontos nos medicamentos. O compromisso da empresa é de elevar em 60 dias o percentual de cobertura para 90% dos trabalhadores e até o final do ano para todos.


Os demais itens serão corrigidos pelo índice de correção de salário: 4,6%. O Sinergia CUT realizará assembléias a partir desta terça (22), quando irá  discutir e deliberar sobre a proposta. Participe!

  Categorias: