Trabalhadores avaliam proposta da CMS Energy

22 maio 09:14 2007

Após várias rodadas de negociação, o Sinergia CUT arrancou na mesa de negociação uma proposta da CMS Energy. A rodada aconteceu na última segunda-feira (21), em Jaguariúna.


Os debates e argumentos do Sinergia CUT fizeram com a que a empresa apresentasse sua cartada final: entre outros pontos, uma PLR de  R$ 2.000 e reajuste de 3,5% (ICV do Dieese de 3,09% mais aumento real de 0,4%).


Em relação ao aspecto econômico, há avanços. A PLR sofre um reajuste de 33.34% em relação ao que foi pago no Acordo Coletivo passado, quando o valor definido foi de R$ 1500.


Já na cesta básica, o aumento chega a 6,25%. Na questão do incentivo à aposentadoria, o trabalhador terá direito a mais um salário. Registre-se ainda avanços na compensação de pontes e feriados (com atenção ás peculariedades regionais) e a inclusão de uma cláusula de Assédio Moral e descrição dos cargos do PCS na intranet. Nesse contexto, o Sinergia CUT realizará assembléias de quarta (23) a sexta-feira (25) para que a proposta seja discutida e deliberada pelos trabalhadores.


Confira os principais itens da proposta:



  • Reajuste Salarial:  3,5% 
  • PLR:  R$ 2.000 a ser pago integral
  • Piso Salarial: R$ 680 (com esse valor, a dupla função
    passa a ser de R$ 136).
  • Auxílio Farmácia: R$ 95 com a proposta de discutir uma nova redação para esta cláusula. 
  • Cesta básica: Aumenta o atual limite para R$ 85, mantendo as atuais condições de participação do trabalhador.
  • Pontes de Feriados: A empresa implantará um calendário de compensação que respeite as particularidades de cada regional.
  • Plano de Cargos e Salários: A empresa concorda em divulgar a descrição de cada cargo e os cargos existentes na estrutura do grupo na intranet.
  • Assédio Moral: A empresa irá incluir essa cláusula no ACT vigente.
  • Incentivo à aposentadoria: aumentou de 8 salários bases para 9  salários

  Categorias: