Diretor do programa Luz para Todos pede demissão

25 maio 13:45 2007

Antecipando-se a uma decisão que o governo já havia tomado, o diretor do programa Luz Para Todos, José Ribamar Lobato Santana, pediu demissão do cargo nesta quinta-feira (24). Se não saísse, apurou o blog, ele seria demitido. É a terceira vítima que a Operação Navalha faz no Ministério das Minas e Energia.


Lobato Santana afasta-se do governo apenas 48 horas depois de o titular da pasta, Silas Rondeau ter entregado, ele próprio, uma carga de demissão a Lula. Antes dos dois, já havia se retirado do ministério Ivo Almeida Costa, que era assessor especial de Rondeau.


Os três têm em comum o fato de freqüentar o inquérito da Operação Navalha na condição de suspeitos. Rondeau foi acusado pela Polícia Federal de receber propina de R$ 100 mil. Seria um prêmio por suposto favorecimento à Construtora Gautama em obras do Luz Para todos, gerido por Lobato Santana.
 
Quanto a Ivo Costa, chegou a ser detido pela polícia. Foi posto em liberdade pela ministra Eliane Calmon, do STJ, depois de prestar depoimento. A PF sustenta que foi ele quem recebeu, das mãos de Fátima Palmeira, diretora Financeira da Gautama, o envelope com a propina que teria sido repassada ao ministro. No depoimento à Justiça, Ivo alegou que o envelope continha documentos, não dinheiro.


Com a saída dos três, o Planalto imagina ter-se livrado de uma trinca de problemas. Resta agora nomear o novo ministro de Minas e Energia. Algo que Lula deve fazer nesta sexta-feira (24), segundo confidenciou a congressistas que estiveram com ele no Planalto.


O presidente aceitou a indicação feita pelo mesmo PMDB que apadrinhara Silas Rondeau. A pasta será agora gerida por Márcio Zimmermann, atual secretário de Planejamento e Desenvolvimento Enérgico do ministério. Trata-se de um técnico. Foi nomeado por Dilma Rousseff antes que a ministra fosse transferida para a Casa Civil. Dá-se extremamente bem com ela. (Josias de Souza)

  Categorias: