Alternativa: a decisão é dos trabalhadores

30 maio 16:32 2007

Depois de ter a proposta final rejeitada pelos trabalhadores em assembléias, o Sinergia CUT imediatamente reivindicou reabertura de negociação com a diretoria da Alternativa. A rodada que reabriu as negociação aconteceu na última terça-feira (29), em Itapeva.


A proposta final já rejeitada pelos trabalhadores incluía a validade do ACT até 2010 e 5% aumento salarial – estimativa de 3,88% do ICV do Dieese mais 1,08% de aumento real. O vale-refeição seria reajustado em 11% e passaria de R$ 9 para R$ 10, ainda com crédito em conta mensalmente.


Sem avanços
Mas os trabalhadores reivindicam a discussão de uma Política de Bolsa de Estudos. Os representantes da prestadora de serviços negaram. Quanto à reivindicação de retorno dos trabalhadores para sua residência, disse que vai manter a atual política interna.


O problema do piso salarial foi resolvido depois de muito debate, com a criação de nova faixa para eletricistas em período de experiência e de um novo cargo para iniciantes – ajudante de eletricista.


A Alternativa também propôs em implantar um sistema de adiantamento salarial de 40% no dia 22 de cada mês. Ou em antecipar o pagamento integral para o 1° dia útil do  mês.      


Novas assembléias
O Sinergia CUT realizará novas assembléias nesta quinta-feira (31) em Itapeva, Limeira e Rio Claro, para detalhar e avaliar a proposta. Caso os trabalhadores rejeitem a nova proposta, o Sindicato debaterá um Plano de Luta para pressionar avanços. Participe!

  Categorias: