Elektro propõe 4,4%. Rejeitados!

05 junho 19:22 2007

Na quinta rodada de negociação ocorrida na tarde desta terça (05), em Campinas, a Elektro finalmente entrou no debate da pauta econômica. De início, apresentou proposta de reajuste salarial e de benefícios com base no IPC Fipe, que foi divulgado no mesmo dia e fechou em 3,98%.


O Sinergia CUT rejeitou a proposta,  insistindo na  reivindicação do reajuste pelo ICV do Dieese, que também foi divulgado no dia da negociação e fechou em 4,13%. Destacou também a necessidade de um aumento real pelo PIB de 2006 – de 3,7% – o que representa um índice final de 7,98%.


Após intervalo, a empresa trouxe uma nova proposta: 4,4% de reajuste nos salários, piso salarial e apenas nos benefícios Vale Refeição, Vale Alimentação, Cesta Básica e Auxilio Creche.


A proposta foi novamente rejeitada pelo Sinergia CUT que continuou  insistindo na reposição com aumento real. A empresa ficou de reavaliar sua posição e informou que continuará a negociação desse ponto na próxima reunião.


Incentivo à aposentadoria
A empresa também trouxe uma proposta mais definitiva sobre o Programa de Incentivo à Aposentadoria e reconheceu a necessidade de um período de estabilidade pré-aposentadoria de até 12 meses,  desde que o trabalhador conte com cinco anos de empresa e  tenha a certidão de contagem do tempo de serviço fornecida pelo INSS, comprovando que faltam  até 12 meses para a aposentaria.


A Elektro propôs  ainda um prêmio de 0,3 salário por ano trabalhado (com teto de seis salários) e seis meses de Assistência Médico-Hospitalar e Odontológica (AMHO), além do pagamento da multa do FGTS pelo período integral trabalhado na empresa.


 Aqueles que já estão aposentados no INSS ou que já solicitaram o benefício que ainda não foi concedido – estando ainda discutindo administrativa ou judicialmente o direito – poderiam se inscrever no programa até 30 dias após a assinatura do Acordo. O desligamento da empresa seria a partir de janeiro de 2008.
 
Os trabalhadores que puderem se aposentar durante a vigência do ACT  poderiam entrar no programa de incentivo à aposentadoria em até 30 dias da entrada do pedido no INSS e se desligariam em até seis meses, possuindo ou não a carta de concessão do benefício do INSS.


Estabilidade maior
O Sinergia CUT fez a contraproposta de um acréscimo no período de estabilidade, que incluiria todo o tempo entre o pedido e a emissão do Perfil Profissiográfico Previdenciário (PPP) junto ao RH mais três meses depois da entrega desse documento, que é necessário para  o pedido de contagem do tempo no INSS. O Sindicato reivindicou também  a melhoria do prêmio em dinheiro e um ano de AMHO.
 
A empresa ficou de avaliar essas questões e as negociações continuam no próximo dia 13. Devido ao adiantado da hora, a empresa não entrou nos demais assuntos, especialmente a cláusula de emprego. O Sinergia CUT realizará assembléias informativas. Participe!

  Categorias: