CESP: foi mal…

18 junho 13:43 2007

Última empresa a abrir negociação, a CESP começou muito mal na rodada de abertura realizada na tarde desta quarta-feira (13), em São Paulo. A proposta apresentada pela geradora é de 3,18% de reajuste nos salários e benefícios, vigência de um ano, garantia do Gerenciamento de Pessoal para 95% do quadro próprio e retirada do PCS.


O Sinergia CUT rejeitou imediatamente a proposta porque, no econômico, a CESP quer repor a inflação pelo menor índice (IPCA), além de ignorar várias reivindicações da pauta dos trabalhadores. O Sindicato reafirmou que quer 4,13% de reajuste mais 3,7% de aumento real, adicional maior nas horas extras, AMH gratuita, entre outras importantes reivindicações.

O Sinergia CUT reafirmou também o que já havia dito no início da reunião: os trabalhadores da CESP estão convivendo novamente com a ameaça de privatização e não abrem mão de manter conquistas históricas, inclusive a política de emprego, com a tranqüilidade de um Acordo Coletivo com validade pelos próximos três anos. Nova rodada acontece no próximo dia 21, às 14h.

  Categorias: