Furnas: mobilização de um dia para reabrir negociação

18 junho 13:19 2007

Na terceira rodada de renegociação realizada no dia 5 de junho, em Brasília, o Grupo Eletrobrás mais uma vez frustrou os trabalhadores. A proposta apresentada é insuficiente e, por isso mesmo, os trabalhadores iniciarão o Plano de Luta, que prevê mobilizações gradativas começando com paralisação de 24 horas nesta segunda (18), de 48 horas nos dias 25 e 26 e por tempo indeterminado a partir de 11 de julho.

No econômico o grupo ofereceu 4% de reajuste, sendo 1% aumento real, 3% nos benefícios, abono de 5% da remuneração mais parcela fixa de R$ 500 somente em dezembro. Isso, na verdade, não passa de uma simples reposição de um acumulado de perdas de um ano. A empresa propôs ainda a unificação dos interníveis em 2,5%.


Quanto às cláusulas sociais, como auxilio materno-infantil e educacional, plano de sucessão e retenção do conhecimento, unificação do adicional de penosidade e dos benefícios, auxilio alimentação, dentre outros pontos, a Eletrobrás sequer apresentou contraproposta. A CCE-09 foi também mais uma vez ignorada na reunião.


Parece que a empresa prefere continuar discriminando milhares de trabalhadores em todo país. O Sindicato voltou a alertar que enquanto não houver a extinção da CCE-09, uma série de ações continuaram a acorrer nas empresas, pois esta é uma bandeira de luta fundamental para os eletricitários de todo país.


À luta!
Diante de uma rodada marcada pelo descaso às reivindicações dos trabalhadores e de uma proposta que a empresa alega ser a última, não resta outra alternativa senão ir à luta com mobilizações fortes e organizadas. O que todos querem é a reabertura das negociações para se firmar um ACT justo. Participe!

  Categorias: