AES Tietê não avança

19 junho 17:08 2007

Devagar. Muito devagar. Assim está a AES Tietê  nas negociações da Campanha Salarial. Na rodada ocorrida nesta terça (19), de novidade a empresa simplesmente apresentou um índice de reajuste 0,03% maior que o proposta na reunião passada. De 3,97% passou a 4% nos salários e benefícios. Com exceção do VR e do VA, que teria um reajuste de 4,35%, passando de R$ 575  para R$ 600. E foi só isso.
 
Continuou ignorando a Pauta de Reivindicações dos trabalhadores (alegando querer negociar apenas os itens econômicos), e a fazer discriminação, aplicando reajuste de 4% a quem recebe até R$ 7.800 e um aumento fixo de R$ 312 para quem ganha acima disso.


Por não atender nenhuma das reivindicações dos trabalhadores, a proposta foi rejeitada na mesa. Detalhe: inúmeros fatores favorecem a geradora para que apresente uma proposta bem melhor. Afinal, foi a AES Tietê que apresentou a maior rentabilidade do setor no ano passado, que atingiu em 2006 uma produtividade de 8,1% por trabalhador (ou seja, cada um deles rendeu para empresa R$ 4 milhões e 900 mil), além da relação Receita Operacional Líquida X Folha de Pagamento ser uma das menores do setor. Mais:  os próprios consultores da AES admitem que a Tietê é uma empresa muito enxuta.


Depois de recusar a proposta, o Sinergia CUT reafirmou a disposição de lutar por um reajuste de 4,13% e um aumento real de 3,7%, o que daria um reajuste de 7,98%, percentual menor que a produtividade individual do trabalhador, de 8,1%.


Além disso, o Sindicato vai continuar na luta por um Adicional de Turno de 7,5%, política de Hora Extra, aumento do quadro mínimo, assistência médica/hospitalar/odontológia gratuita, Gratificação de Férias pela média salarial da empresa.


Também foi informado à AES Tietê que caso ela  se comprometa a discutir os pontos da pauta, o Sinergia CUT fará uma petição junto o Ministério Público do Trabalho (MPT) solicitando que a Audiência marcada para o próximo dia 28 com a empresa, seja adiada para logo após o processo de negociação.


Os negociadores da Tietê se comprometaram a levar para a  direção da empresa a proposta do Sindicato e confirmou a próxima rodada de negociação para o dia 26, às 10h30, em São Paulo.


Até o final desta semana (22), o Sindicato realizará assembléias informativas em todos os locais de trabalho para esclarecer os pontos discutidos. Participe!

  Categorias: