Tractebel negocia implantação de térmica a carvão de 338 MW

21 junho 12:20 2007

Empreendimento, batizado de Projeto Pampa, exportará energia para o Uruguai. Investimento estimado é de US$ 800 milhões


A Tractebel Energia está negociando a implantação de uma termelétrica a carvão de 338 MW que exportará energia para o Uruguai. Segundo Miroel Wolowski, diretor de Comercialização e Negócios, a empresa decidiu apostar no projeto, batizado de Pampa, em outubro do ano passado, após verificar uma oportunidade de negócio no segmento de carvão diante de um acordo bilateral negociado entre Brasil e Uruguai em 2006.


As negociações não têm previsão de serem concluídas, informou o executivo, que participou do 8° Encontro de Negócios de Energia, promovido pelo Ciesp e pelo Sistema Fiesp. A usina ficaria, inicialmente, localizada na região de Candiota (RS). As projeções iniciais de investimento são da ordem de US$ 800 milhões. De acordo com Miroel, a preocupação do Uruguai com a questão energética tem relação com a crise de abastecimento na Argentina.


O executivo contou que o Uruguai, nas negociações com o Brasil, apresentou receios quanto ao risco de interromper o fornecimento de energia em caso de emergência. Pela proposta, a energia seria entregue no lado uruguaio. A alternativa de conexão ainda está em estudos. A empresa já solicitou à Agência Nacional de Energia Elétrica permissão para realização de contratação de energia firme por um prazo de 20 anos.


Um dos questionamentos, segundo Miroel, é quanto à implantação da planta para oferta no país. O executivo destacou que não há incentivo para a venda da energia a carvão, uma vez que, enquanto a proposta de exportação direta da energia tem um custo definido, para a mesma venda para o Brasil, a carga tributária acaba elevando o custo de produção de modo que o empreendimento fica inviabilizado. (Fábio Couto)

  Categorias: