CPFL: avança, mas cheia de veneno

22 junho 10:36 2007

Quinta-feira, 21 de junho. Quinta rodada de negociação com a CPFL. Apesar de alguns avanços, foi impossível não rejeitar a proposta na mesa tendo em vista a surpresa.


Dessa vez a empresa propôs 4,5% de reajuste nos salários e benefícios, exceto no Vale Alimentação, que seria reajustado em15% (passando de R$ 84,93 para R$ 97,67). Nesse benefício, diminuiria a participação do trabalhador na tabela e o subsídio da empresa passaria para 90% para a primeira faixa (atualmente é de 80%).


Com os 4,5% de reajuste, a PLR seria de R$ 3.511,77, o Vale Refeição passaria a R$ 364,96, a Gratificação de Férias teria o valor de R$ 1.369,85 e o Auxílo Creche R$ 270,94.


Garantia de Emprego
Ao contrário das rodadas anteriores, dessa vez a CPFL  reconheceu a necessidade de ter no Acordo Coletivo uma Cláusula de Gerenciamento de Pessoal.


Porém, a proposta feita não contempla as reinvidicações dos trabalhadores, já que pressupõe uma rotatividade de 5% ao ano. Ou seja, a empresa pretende ter um quadro mínimo e a liberalidade para demitir 5% do quadro todos os anos. Veja abaixo como é no Acordo vigente e compare com o que a empresa propõe. À luta!


Nova rodada
Com quatro horas de duração, a negociação terminou com a proposta rejeitada na mesa e nova rodada agendada para o próximo dia 27. Fique ligado.


Os números da CPFL. E que números…


O Grupo CPFL, que em 2006 lucrou mais de R$ 1,4 bi, agora já está na seguinte situação:
o No primeiro trimestre o lucro líquido foi de R$ 472.928 (em mil), 54,3% maior que no ano passado
o Estimativa para 2007:  lucro de R$ 1,9 bi
o  Desde 2004 a empresa distribuiu R$ 2,7 bilhões em dividendos
o  Em abril de 2007, distribuiu o montante de R$ 722 milhões, em dividendos, referentes apenas ao segundo semestre de 2006.


... o que sobra para os trabalhadores
Com esse quadro, além de os trabalhadores servirem ao mesmo tempo para várias empresas e, além de migalhas, a CPFL lhes propõe o desemprego. Que reconhecimento, hein?!


Pior:
No período de 2001 a 2005 o quadro de acidentados da Paulista passou de 72 para 184, representando um aumento de 115,55%. (Fonte: CSPE)


 

  Categorias: