Produção industrial brasileira avança 1,3% no mês de maio, mostra IBGE

04 julho 11:03 2007

RIO – A produção industrial brasileira aumentou 1,3% em maio frente ao mês anterior, já considerando fatores sazonais (influências de determinados períodos). Relativamente ao quinto mês de 2006, viu-se elevação de 4,9%. Os dados foram divulgados há pouco pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).


Nos cinco primeiros meses de 2006, houve crescimento de 4,4% no confronto com período correspondente do ano passado. Em 12 meses, o acréscimo foi de 3,3%, repetindo o resultado visto em abril.


Na passagem de abril para maio, 15 dos 23 ramos estudados verificaram ampliação da produção, sobressaindo veículos automotores (3,7%). Também merecem menção máquinas e equipamentos (3,1%) e alimentos (1,2%). Em sentido inverso, as pressões negativas mais destacadas vieram de outros produtos químicos (-1,8%) e de bebidas (-2,8%).


Ainda respeitando a base mensal, por categoria de uso, bens de capital avançaram 5,1%, bens de consumo duráveis subiram 1,5% e bens de consumo semi e não-duráveis viram acréscimo de 1,3%, o maior resultado neste ano, segundo o IBGE. Bens intermediários, o de maior peso na indústria, expandiram-se 0,6%.


Frente a maio de 2006, dos 27 ramos investigados, 19 tiveram crescimento na produção, com ênfase para máquinas e equipamentos (19%) e veículos automotores (10,8%). O organismo chamou atenção ainda para o desempenho das indústrias de máquinas, aparelhos e materiais elétricos (14,5%), metalurgia básica (7,1%), outros produtos químicos (4,2%) e bebidas (8,2%).


Em contrapartida, edição e impressão, material eletrônico e equipamentos de comunicações, e celulose e papel registraram retração, de 5,5%, 4,2% e 2,9%, respectivamente.


No acumulado janeiro-maio ante igual intervalo do exercício antecedente, 20 atividades anotaram incremento na produção. ‘A fabricação de máquinas e equipamentos (16,5%) mantém a liderança em termos de impacto sobre o índice geral’, observou o IBGE.

  Categorias: