Patrícia Arce, da Abrace: tarifa das distribuidoras podem cair mais

11 julho 11:46 2007

Custo de atendimento ao consumidor metropolitano estão superestimados para associação. Entidade é contra parcelamento de redução das tarifas


A Associação Brasileira dos Grandes Consumidores Industriais de Energia e de Consumidores Livres acredita que o resultado da revisão tarifária da AES Eletropaulo (SP) poderia ser bem melhor para os clientes. A Abrace mostra que os custos de atendimento ao consumidor metropolitano considerados pela Agência Nacional de Energia Elétrica estão superestimados. Segundo Patricia Arce, diretora-executiva da entidade, a metodologia adotada pela Aneel causa um impacto de pelo menos R$ 35 milhões nas tarifas.


‘A agência adotou que 85% dos clientes da Eletropaulo estão localizados em áreas onde o problema do trânsito seria incontornável pela empresa, de forma que os índices de produtividade caem até 120% em algumas tarefas’, explica Patricia. A Abrace vai encaminhar à Aneel um estudo detalhado sobre os custos de atendimento ao consumidor metropolitano. ‘Ele deverá provar que os custos considerados pela agência no cálculo das tarifas foram superestimados’, completa.


A Aneel ainda considera os índices da Eletropaulo, e das outras distribuidoras, como provisórios porque ainda está em processo de mudança da empresa de referência. ‘A Abrace quer participar ativamente do aprimoramento da empresa de referência’, salienta Patricia. (Alexandre Canazio)

  Categorias: