CESP: sindicatos formalizam solicitação para reabrir negociação

23 julho 19:05 2007

Depois de adiar a penúltima rodada de negociação, a CESP cumpriu a promessa e apresentou uma nova proposta durante reunião com as entidades sindicais na manhã do último dia 17, em São Paulo. Os negociadores alegaram que essa é a proposta final da empresa.


No econômico a CESP propõe 4,67% de reajuste nos salários e benefícios, 2% da folha para o Planejamento de Pessoal, uma folha nominal para a PRR 2008  e  vigência do Acordo por um ano. 


Pode melhorar
As entidades representativas consideraram que a nova proposta está aquém das reivindicações dos trabalhadores e que ainda há espaço para  negociação. A proposta da CESP prejudica a categoria na vigência do Acordo e na PRR, já que o montante cai de uma folha cheia para uma folha base, o que implica em redução significativa do benefício, que pode chegar a cerca R$ 1 mil a menos no bolso de cada trabalhador. 


Por esse motivo, os sindicatos – Sinergia CUT, Eletricitários de São Paulo e Engenheiros de SP – decidiram encaminhar carta conjunta à direção da CESP em que argumentam ainda que historicamente os trabalhadores da CESP sempre tiveram Acordos com três anos de duração. O documento assinado pelas três entidades será encaminhado também ao presidente da Aneel Jerson Kelman, ao governador José Serra, à secretária de Saneamento e Energia Dilma Seli Pena, ao secretário de Gestão Pública Sidney Beraldo e ao secretário da Casa Civil, Aloysio Nunes Ferreira. 


As entidades reivindicaram nova rodada de negociação com urgência. Caso contrário,  os trabalhadores participam de mobilização unificada de quatro horas em todos os locais de trabalho na próxima quarta (25).

  Categorias: