Escelsa tem reposicionamento de -6,92% para as tarifas

06 agosto 18:23 2007

Efeito médio para os consumidores será de -9,62% a partir da próxima terça-feira, 7 de agosto


A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica fixou, em reunião extraordinária, nesta segunda-feira, 6 de agosto, os índices da revisão tarifária da Escelsa (ES). O reposicionamento tarifário ficou em -6,92% com efeito médio para os consumidores de -9,62% a partir de amanhã, 7. A Aneel também determinou em 1,45% o componente Xe do fator X que será descontado do IGP-M nos reajustes tarifários até 2009.


Os consumidores de baixa tensão terão uma redução de 12,45% nas tarifas. A Aneel divulgou também o efeito para cada subgrupo entre os consumidores de alta tensão. O subgrupo A2 terá uma queda de 16,74% nas contas, enquanto o A3A, de 7,10%; e o A3, de 6,58%. O subgrupo A4 terá aumento de 1,35%.


Os componentes financeiros externos à revisão ficou em R$ 60,116 milhões. A base de remuneração bruta foi estabelecida em R$ 1,842 bilhão e a líquida em R$ 952,5 milhões. A receita líquida verifica é de R$ 1,343 bilhão. A taxa de depreciação ficou em 4,25% para a distribuidora. O índice de revisão de -6,92% é provisório porque a estrutura da empresa de referência está em processo de reavaliação.


Segundo Edvaldo Santana, diretor-relator do processo da Escelsa, a futura estrutura deverá capturar os efeitos de ganhos de holding. A Escelsa, pertecente ao grupo Energias do Brasil, é administrada, em conjunto, com as outras distribuidoras: Enersul (MS) e Bandeirante (SP). Santana reconheceu que, atualmente, eventuais ganhos dessa estrutura não são captados no processo de revisão tarifária. (Alexandre Canazio)

  Categorias: