Artur: ‘Vamos mostrar a quem, de fato, deve pertencer o poder’

14 agosto 16:52 2007

Os motivos de nossa mobilização em Brasília na próxima quarta são conhecidos. Vamos lá para cobrar que o governo federal e o Congresso Nacional abandonem projetos contrários aos interesses da classe trabalhadora e aceitem propostas preparadas e defendidas pela CUT e seus sindicatos filiados.


Além da mobilização de rua, com 20 mil trabalhadores e trabalhadoras vindos de todas as regiões do Brasil, vamos na parte da tarde realizar audiências com ministros e parlamentares para tentar mais uma vez abrir negociação em torno dos pontos da pauta.


A garra de nossa militância vai se manifestar desde as nove da manhã, em concentração diante da Catedral, e depois na passeata rumo ao Congresso e no ato político que faremos lá em frente. De mãos dadas, daremos um abraço no Congresso, num gesto simbólico para mostrar a quem, de fato, deve pertencer o poder e a quem deve atender.


Estamos diante de novos riscos para os trabalhadores. São ameaças acalentadas por setores mais conservadores do empresariado, por setores do Congresso Nacional e – citamos por último para deixar em destaque – por setores do governo federal.


Nossa atividade será a quarta rodada de mobilizações nacionais nos últimos seis meses. É um processo de luta que vai crescendo e não deve se encerrar. Além de defendermos nossa pauta, acreditamos que nosso engajamento serve para lembrar aos brasileiros que vale a pena se envolver em manifestações populares. O Brasil precisa mudar – e pode mudar. Desde que os movimentos sociais fiquem em cima. Incansáveis.

  Categorias: