AES Tietê: ACT por 3 anos

30 agosto 12:25 2007

Finalmente, depois de nove rodadas de negociação e da solução  para as pendências junto ao Ministério Público do Trabalho (MPT) de Bauru, além de inúmeras reuniões nos locais de trabalho, Sinergia CUT AES Tietê participaram de mais uma reunião  na tarde da última quarta (29).


A reunião foi convocada pela direção da empresa no início da noite de terça (28),  depois da rodada em que o Sinergia CUT rejeitou mais uma proposta que prejudicava economicamente os trabalhadores (leia quadro).


A AES Tietê abriu a última reunião informando que ‘em hipótese alguma’ poderia avançar no reajuste, mas estava disposta a melhorar a proposta. Apresentou então sua proposta final que, além dos três anos de ACT,  é a seguinte:



  • Reposição salarial: 4,5% para os trabalhadores com salário até R$ 7.800. Acima disso, um valor fixo de R$ 351
  • VA/VR, auxílio transferência e gratificação de férias: reajuste de 4,5% (o VA/VR passaria de R$ 575 para R$ 601)
  • Abono: R$ 600 pagos no VA/VR em duas parcelas – R$ 400 em outubro e R$ 200 em janeiro
  • DSR (Descanso Semanal Remunerado): conforme acordado no MPT
  • Pagamento de horas extras: conforme acordado no MPT
  • Fim das horas incorporadas aos salários e que resultariam, até 2010, em incorporação de 20,83%
  • Revezamento ininterrupto: 30 minutos de intervalo para refeição dentro da jornada e fim do banco de horas
  • Quadro mínimo: passaria de 247 para 260 trabalhadores na cláusula de gerenciamento de pessoal
  • Política de incentivo à aposentadoria: discutir com o Sindicato até setembro e implantar para os trabalhadores já aposentados
  • PLR 2007: Antecipação de mais R$ 1 mil em janeiro, complementando a antecipação de R$ 2.041 paga em julho passado

Apesar dos avanços, o Sindicato insistiu em um índice melhor. A empresa afirmou estar no limite. Assim, o Sinergia CUT realiza assembléias deliberativas a partir de quinta (30). A decisão é dos trabalhadores!


Um dia antes
Depois da audiência convocada pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) de Bauru, os negociadores da AES Tietê retomaram a negociação da Campanha Salarial com o Sinergia CUT, realizando a oitava rodada na manhã da terça-feira (28), em São Paulo.


A empresa apresentou  então proposta econômica de 4,5% de reajuste para salários até R$ 7.800 e um fixo de R$ 351 para salários acima desse valor. Pagaria também um abono de R$ 200 no vale alimentação de dezembro. No Gerenciamento de Pessoal, a AES Tietê admitiu aumentar o quadro mínimo dos atuais 247 para 255 trabalhadores. A empresa também estaria disposta a discutir um Plano de Incentivo Aposentadoria até 30 de setembro próximo, em Carta Paralela.


O Sinergia CUT rejeitou a proposta e reivindicou avanços principalmente no econômico. Mas os negociadores da empresa sequer agendaram nova rodada, o que acabou acontecendo só no início da noite.

  Categorias: