Call Center da Elektro: luta é por via judicial

17 setembro 14:41 2007

Apesar do puxão de orelha que recebeu na Delegacia na audiência de 03/09, a direção da Elektro resolveu continuar desrespeitando os trabalhadores mais uma vez. Em mesa redonda na Sub-delegacia Regional do Trabalho de Campinas da última Sexta (14/9), a Elektro comunicou que não retornará a escala e manterá o prejuízo causado aos trabalhadores. A empresa diz que fez tudo na ‘boa-fé’, ao aplicar o que interpretou da nova NR 17. Aceitou apenas formular ‘consulta ao Ministério do Trabalho de Brasília e que levará em consideração o resultado. A empresa apresentou documentação com exposição de motivos e cópia das fichas de registro dos cerca de 260 empregados lotados no Call Center. Na manifestação afirma que os trabalhadores, em sua maioria, residem em municípios próximos à sede da empresa em Campinas.

Para completar, os representantes da empresa tentaram azucrinar a mediadora da Sub-Delegacia, juntando cópia do Boletim no. 872 de 07/08/2007. Eles alegaram que o sindicato afirmou que ela deu um ‘puxão de orelha’ na empresa e isto era uma atitude desrespeitosa com a Sub-Delegacia. A mediadora ignorou o argumento.

O Sinergia CUT solicitou então, que a mediação fosse transformada em fiscalização por descumprimento do Termo de Acordo de Escala, o que foi acatado pela Delegacia do Trabalho.

Como a questão não foi resolvida, o sindicato ajuizará ação na Justiça do Trabalho para reaver conquistas do acordo de escala do Call Center da Elektro e cobrar pelos prejuízos, independentemente do resultado da consulta ao Ministério do Trabalho. Aguarde informações.

  Categorias: