BNDES libera R$ 2,6 bilhões para o setor elétrico

18 setembro 21:54 2007

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social desembolsou R$ 2,6 bilhões para o setor elétrico nos oito primeiros meses do ano, segundo balanço divulgado nesta segunda-feira, 17 de setembro.


O montante é 45,3% superior ao registrado no mesmo período de 2006. Somente em agosto, os empréstimos liberados totalizaram R$ 257 milhões. As aprovações de janeiro a agosto chegaram a R$ 5 bilhões, ou 187% acima de igual período do ano passado.


No mês passado, elas totalizaram R$ 391 milhões. No acumulado de 12 meses, os desembolsos ficaram em R$ 4,016 bilhões, com crescimento de 18%, e as aprovações, em R$ 7,376 bilhões, 115% acima de igual período anterior.


 O setor de infra-estrutura recebeu, no mesmo período, R$ 20,942 bilhões; resultado 33% acima dos 12 meses anteriores. As aprovações chegaram a R$ 36,871 bilhões, com aumento de 123%. Segundo o BNDES, os resultados se devem a um período de fraca demanda no ano passado.


O setor de infra-estrutura ficou com R$ 13,2 bilhões de janeiro a agosto deste ano, com alta de 42,3% sobre os mesmos meses de 2006. Já as aprovações tiveram alta de 131,6% para R$ 22,7 bilhões. Os desembolsos totais do BNDES cresceram 35,2% nos oito meses, atingindo R$ 37 bilhões e as aprovações somaram R$ 55,2 bilhões, alta de 38,5% na mesma base de comparação.


Os enquadramentos do banco até agosto chegaram a R$ 69,1 bilhões e as consultas, a R$ 75,6 bilhões, com alta de 16,8% e 23,1%, respectivamente, em relação a igual período de 2006. Em 12 meses, os desembolsos do BNDES bateram recorde e alcançaram R$ 61,7 bilhões. O valor representa crescimento de 35% em relação ao mesmo período anterior. As aprovações somaram R$ 89,7 bilhões, alta de 40%, nos 12 meses findos em agosto.


O montante, de acordo com BNDES, reflete a crescente demanda por recursos e a entrada de novos projetos no banco, especialmente na área de infra-estrutura. As consultas, no período, totalizaram R$ 120,2 bilhões e os enquadramentos, R$ 105,3 bilhões. Em agosto, o banco liberou R$ 5,7 bilhões e aprovou R$ 5,4 bilhões. Os enquadramentos somaram R$ 6,9 bilhões e as consultas, R$ 9,2 bilhões.

  Categorias: