São Paulo registra aumento de renda

24 setembro 12:24 2007

O mercado de trabalho na Grande São Paulo viveu um 2006 pior do que o restante do Estado e do país e apresentou indicadores de rendimento abaixo da média, revelam dados da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), informa nesta segunda-feira reportagem da Folha (íntegra disponível para assinantes do jornal ou do UOL).


A renda do trabalho cresceu, em média, 4,5% no conjunto do Estado mais rico do país e era estimada em R$ 1.139. O desempenho foi melhor do que na região metropolitana, onde a remuneração subiu 1,8% (em média, R$ 1.235) em 2006.


Em ambos os casos, a renda cresceu numa velocidade menos intensa do que a média nacional -alta de 6,8% em 2006. No entanto, o valor da renda média em São Paulo ainda está bastante acima da média do país, de R$ 888. Pelos dados do IBGE, foram criados, em 2006, 725.674 empregos em todo o Estado. A alta ficou em 3,8% ante o ano anterior 2005 -acima da variação média nacional, de 2,4%.


Desemprego


Segundo divulgou o IBGE na última quinta-feira (20), a taxa de desemprego ficou estável em agosto, aos 9,5%, nas seis regiões metropolitanas do país –Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.


A taxa ficou 1,1 ponto percentual abaixo da apurada em agosto do ano passado. Já o rendimento médio caiu 0,5%, pelo terceiro mês consecutivo, entre julho e agosto.


A população ocupada nas seis regiões subiu 2,5%. O número de desempregados no total das seis regiões atingiu 2,2 milhões de pessoas.


 

  Categorias: