Ribeirão: CPFL ainda avalia motivo de blecaute

10 outubro 15:55 2007

A CPFL (Companhia Paulista de Força e Luz) ainda não encontrou os
motivos para o blecaute ocorrido na última sexta-feira, em Ribeirão. A
Zona Sul da cidade ficou 30 minutos sem energia.


De acordo com a assessoria de imprensa da CPFL, o blecaute ocorreu
devido ao desligamento da subestação Ribeirão Preto, localizada no
bairro Castelo Branco. Dois relés, que são equipamentos de segurança,
foram acionados e desligaram os transformadores, responsáveis por
distribuir energia para os bairros atendidos pela subestação.


Até o momento, a companhia não sabe porque os relés foram acionados. A CPFL está analisando os equipamentos e busca as causas do blecaute e evitar novas ocorrências.


De acordo com a assessoria da CPFL, a subestação Ribeirão Preto tem nove alimentadores de redes primárias e distribui energia para diversos bairros.


Além dos bairros já informados pela reportagem da Gazeta na última
edição: Jardim Irajá, Santa Cruz, Jardim América, Sumaré, Alto da Boa
Vista, Vila Seixas, Jardim Canadá, Nova Aliança, Jardim Califórnia,
Jardim Botânico, região da Fiusa e parte do Boulevart, a CPFL informou
que outros lugares foram atingidos. Parte da região Central da cidade,
Jardim das Pedras, Alto Sumaré, Residencial Flórida, João Rossi, Colina
Verde, entre outros, que eles não souberam informar.


A assessoria da CPFL também afirmou que não deve haver relação entre o blecaute ocorrida na última sexta-feira na Zona Sul da cidade e os pequenos blecautes do final de semana anterior, na Zona Norte, devido à fuligem da queima da cana.


A subestação levou 30 minutos para ser religada, tempo considerado
satisfatório pela companhia. A equipe foi imediatamente informada que a rede estava fora do ar e, segundo a assessoria, agiu rápido. De acordo com a CPFL, o tempo médio de religamento em Ribeirão é de menos de 60 minutos, um dos menores do país.

  Categorias: