São Paulo tem expansão recorde de empregos com carteira assinada

23 outubro 14:53 2007

A geração de empregos com carteira assinada este ano no estado de São Paulo vem sendo a maior da história, com uma ampliação de 682.049 postos no mercado formal entre janeiro e setembro – número que representa 42% do saldo nacional de 1,6 milhão de vagas. O resultado supera em 92 mil empregos o registrado no mesmo período do ano passado, quando o estado fechou o mês de setembro com uma expansão de 590.476 vagas.


O estado é de longe o que mais gera empregos celetistas no país, absorvendo quatro em cada dez vagas formais criadas este ano no Brasil – seu saldo é quase quatro vezes maior do que o de Minas Gerais (173.178), segundo estado no ranking de empregos formais. Só na capital paulista houve um aumento de 183.607 postos, mais do que toda a Região Centro-Oeste (126.888).


Para o ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, o movimento das festas de fim de ano deverá manter o mercado aquecido. ‘Esperamos muitas contratações na área de Serviços e as compras de eletrodomésticos também vão favoreçer a Indústria. São Paulo tem tudo para fechar este ano com o melhor saldo de sua história’, afirmou.


Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego, que desde 1992 monitora as admissões e demissões no mercado formal, todos os setores de atividade econômica  apresentaram elevações no nível de emprego. Cerca de 40% dos empregos criados estão na Região Metropolitana.


O setor responsável pelo maior número de vagas criadas foi o de Serviços, com 208.583 postos. Em seguida aparecem a Indústria da Transformação (203.710), Comércio (83.707) e Construção Civil (56.495), cujo saldo deste ano mais que dobrou em relação ao verificado no mesmo período de 2006 (22.902).


Somente em setembro foram gerados 77.418 mil empregos com carteira assinada em São Paulo, o que representou um crescimento de 0,80% no total de empregos do estado no mês anterior, maior resultado da série do Caged para o mês de setembro.


Entre os municípios com mais de 30 mil habitantes, os que mais se sobressaíram foram São Paulo (29.611 postos), Guarulhos (2.573), Jundiaí (2.508), Campinas (2.351) e São Bernardo do Campo (2.156). Os setores com maior expansão de empregos foram Serviços (28.452 vagas), Indústria de Transformação (25.135), Comércio (14.927), e Construção Civil (7.953).


O Caged registra mensalmente desde 1992 as contratações e demissões reguladas pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Estão fora da estatística os servidores públicos e empregados domésticos.


 


São Paulo em números


-682 mil novos empregos formais gerados em nove meses


– Aumento de 77,4 mil postos somente em setembro


– Quatro em cada dez vagas formais criadas no Brasil este ano são do estado


– Possui a cidade onde o emprego mais cresce no país. Entre janeiro e setembro, a capital teve uma ampliação de 183 mil postos celetistas.

  Categorias: