O Sinergia CUT faz a luta e a conquista…

14 novembro 10:10 2007

… há dez anos. E não quer aguardar seus 24 anos, assim como teve que esperar a CUT, para ser reconhecido legalmente. Mesmo sabendo que nossas lutas, conquistas e nossa própria história se dão dentro ou fora da estrutura sindical


O projeto do Sinergia CUT, construído em 16 de novembro de 1997, foi alicerçado na base da liberdade e autonomia sindical. Nasceu há 10 anos para romper com a estrutura oficial, baseada na unicidade, na obrigatoriedade da contribuição financeira e no poder normativo da Justiça do Trabalho.


O Sinergia CUT enfatiza, desde a sua formação, a liberdade de organização e apresenta um novo conceito de organização, que é por ramo: os energéticos (eletricitários e gasistas). Não é à toa que possui uma história de resistência, luta e de grandes conquistas e tem crescido ao longo dessa década.


O Sinergia CUT é vanguarda na questão das negociações coletivas, pois, em algumas empresas, negocia e conquista períodos de vigência de ACTs por 3 anos, enquanto a legislação estipula acordos de, no máximo, dois anos. Mais: pioneiramente acaba na prática com a mamata injusta e distorcida do Imposto Sindical. Essa taxa compulsória é combatida pelo Sindicato que, desde 1992, conquista anualmente na Justiça o direito de não descontar dos trabalhadores o valor da cobrança.


A existência do Sinergia CUT não pode ser negada. É comprovada pela história e na prática há dez anos. Porém, sem o merecido e tão sonhado reconhecimento legal.


Diferentemente de outras entidades que se utilizam da arcaica legislação sindical e, sem ligação com os trabalhadores, geralmente são ligados aos interesses dos patrões. Alguns deles, mesmo sem comprovação de representatividade na base, conseguem, através de brechas da legislação, serem reconhecidos.


Há esperança…
O recente reconhecimento das Centrais Sindicais pelo Congresso, o que ocorreu em outubro passado, renova as esperanças do Sinergia. A CUT, com seus 24 anos de fundação e de muita história de luta, somente agora foi oficialmente reconhecida como a maior central sindical da América Latina.
Por isso, o Sinergia CUT considera essencial que cada um de nós esteja preparado para enfrentar os desafios que hão de vir, além de estar capacitado para intervir nos locais de trabalho na busca da efetiva consolidação do Projeto.


Não esperamos por dez anos. Lutamos nesses dez anos. E é exatamente por isso que desejamos que não seja necessário se passar 24 anos de existência para que o Sinergia CUT seja reconhecido legalmente. Hoje, a consolidação é o nosso sonho. A luta é a realidade.


Manter-se informado, renovar os votos da união, liberdade, autonomia, força e luta é provar a capacidade pessoal que cada trabalhador tem para mudar o rumo da história do nosso país. Avante, Sinergia CUT!



COMEMORAÇÃO COM REFLEXÃO


Nos últimos dias 08 e 09 de novembro, o Hotel Nacional Inn, em Campinas, foi palco de importante momento para comemoração e reflexão da categoria energética. Os dez anos de existência do Sinergia CUT  foi o tema que norteou debates e promoveu confraternização.
O balanço da Campanha Salarial 2007 e as eleições sindicais de 2008 foram os assuntos da 2ª Reunião Colegiada Ampliada que ocorreu na quinta (08).


Já o dia seguinte começou com um debate sobre os rumos do sindicalismo brasileiro e que contou com a participação da doutoranda em economia Marilaine Teixeira, com o deputado federal Vicente Paula da Silva, o Vicentinho (PT-SP) e ainda  com o energético e presidente nacional da CUT, Artur Henrique da Silva Santos.


‘O Sinergia CUT de hoje, já com seus 10 anos, não pode ter o saudosismo do passado e querer abraçar o mundo. Deve sim, definir prioridades e não desviar da estratégia. Organização por Local de Trabalho é prioridade’, alertou Artur Henrique, idealizador e um dos fundadores do Sinergia CUT. E declarou: ‘Orgulho-me em estar hoje na presidência da CUT e ser também do Sinergia CUT’.


À tarde, o futuro do projeto Sinergia CUT foi tema central da mesa montada com dirigentes das quatro entidades que hoje formam o Sindicato (Sindgasista, STIEEC, SindPrudente e SindLitoral). Para falar sobre o cenário nacional, o convidado de honra foi o presidente da Câmara dos Deputados, Arlindo Chinaglia (PT-SP), que fez uma análise da conjuntura política do país. Oportunidade única.

  Categorias: