Artur: ‘Fortalecer o Sintap é um compromisso da CUT’

21 novembro 18:33 2007

‘Os aposentados e pensionistas representam fatia enorme e cada vez maior da população brasileira, que necessita de uma organização de luta em defesa dos seus direitos, da Previdência pública e de um envelhecimento saudável. Por isso, mais do que um desafio, fortalecer a representação do Sintap em todo o país é um compromisso da Central Única dos Trabalhadores’, afirmou o presidente nacional da CUT, Artur Henrique, sob aplausos dos delegados presentes ao 2º Congresso do Sindicato Nacional dos Aposentados e Pensionistas (Sintap/CUT), iniciado terça-feira (20) em Louveira, no interior paulista.


O presidente da CUT destacou o trabalho desenvolvido conjuntamente com o companheiro Epitácio Luiz Epaminondas (Luizão), dirigente do Sintap, no Fórum Nacional da Previdência, ‘onde alguns urubus, aves do mau agouro, diziam que estávamos lá para abrir mão de direitos; a mídia dizia que iríamos ter de trabalhar mais e que iria diminuir a diferença de idade entre homens e mulheres’. Ao chegar no final do Fórum, destacou Artur, ‘não só não abrimos mão de direitos como conseguimos avançar em questões importantes como a recriação do Conselho Nacional de Seguridade Social, com caráter deliberativo, que passará a ter uma composição quadripartite, com a participação dos aposentados. Afinal, os aposentados não são só parte do sistema de Seguridade, são seus usuários’. 


O dirigente cutista ressaltou ainda a importância do Fórum Nacional da Previdência ter resgatado o conceito de Seguridade inscrito na Constituição de 88, ‘compreendida como Previdência, Saúde e Assistência Social’ e conclamou os presentes a ampliarem a mobilização e a pressão ‘para acabar com o fator previdenciário’, denunciado como uma fórmula de arrocho nos benefícios.


Artur alertou que, neste momento, a direita se utiliza de instrumentos como a Veja e O Globo para atacar os movimentos sociais, ‘numa grande campanha para desconstruir, desmontar e destruir as entidades representativas do povo brasileiro, na tentativa de derrubar o que pode dar sustentação aos avanços do governo Lula’.


A 4ª Marcha da Classe Trabalhadora, que será realizada no próximo dia 5 em Brasília, enfatizou, será uma ótima oportunidade para os sindicalistas darem uma resposta à campanha difamatória e desinformativa da mídia. ‘Os neoliberais e privatistas querem um Estado mínimo, nós queremos a valorização dos serviços e dos servidores públicos, atendimento de qualidade, desenvolvimento com justiça social, geração de emprego e redistribuição de renda. Nossa Marcha tem três eixos principais: a redução da jornada de trabalho sem diminuição de salário, mais e melhores empregos e fortalecimento da seguridade social e das políticas públicas. Tudo a ver com o nosso Congresso do Sintap. Espero vocês em Brasília’, concluiu.


O evento continua até quinta-feira, quando será eleita a nova direção da entidade. (Leonardo Severo)

  Categorias: