TST suspende demissões de terceirizados em Furnas

23 janeiro 09:14 2008

O presidente do Tribunal Superior do Trabalho, ministro Rider Nogueira de Brito, suspendeu a decisão da 8ª Vara do Trabalho de Brasília que determinava a demissão dos trabalhadores não concursados e terceirizados de Furnas em até trinta dias. A suspensão vale até o julgamento do dissídio coletivo instaurado por Furnas.


O ministro considerou que as paralisações anunciadas pela categoria podem provocar prejuízos para a população, podendo afetar a geração e transmissão de energia elétrica por parte da empresa.


Brito ressaltou ainda que o prazo de trinta dias dado para a substituição dos trabalhadores terceirizados por outros concursados não é suficiente, devido a grande quantidade de trabalhadores nessa situação.


O pedido de suspensão foi feito pela direção e pelas entidades sindicais representantes dos trabalhadores de Furnas na audiência de conciliação e julgamento no último dia 18 de janeiro.


A primeira paralisação dos trabalhadores ocorreu em 15 de janeiro e estavam previstas outras para os dias 22, 23, 29 e 31.


A publicação do despacho está programada para a próxima quarta-feira, 23 de janeiro, no Diário da Justiça da União, mesma data em que haverá a continuação da audiência de conciliação e julgamento.

  Categorias: