CESP em greve a partir de segunda-feira

25 janeiro 15:47 2008

Trabalhadores do interior de SP continuam com o Plano de Luta, caso o governo de SP não abra negociação já. Sindicato ainda tenta negociar


Os trabalhadores das principais usinas e localidades da CESP no interior paulista entram em greve a partir desta segunda-feira (28) para pressionar a direção da empresa e o governo de SP a antecipar a Campanha Salarial 2008, abrindo negociação já com o Sinergia CUT.


O objetivo do Sindicato é  garantir a tranqüilidade necessária aos trabalhadores diante da ameaça de privatização, com garantia de emprego por três anos e manutenção de direitos históricos em Acordo Coletivo até 2011.


Sem autorização
Vale lembrar que, no final do ano passado, os trabalhadores aprovaram em assembléias a pauta de reivindicações para a antecipação da Campanha diante da retomada do processo de privatização pelo governo Serra.


No início do ano, a pauta foi entregue ao presidente da CESP, Guilherme Cirne de Toledo, e à Secretaria de Energia e Saneamento. Em resposta, o presidente da empresa informou ao Sinergia CUT que dependia de autorização do presidente do PED, responsável pelo programa de privatização, para abrir a negociação.


Sem resposta
Tudo porque, de lá para cá, a venda da CESP  corre em ritmo acelerado e o governo tucano tem pressa para entregar a última empresa de geração do patrimônio dos paulistas.


Aliás, durante a audiência ‘pública’ realizada em 15 de janeiro passado, uma das reivindicações do Sindicato foi que a coordenação do PED agendasse reunião para negociar a pauta dos trabalhadores.


Plano de Luta
Apesar de todos os esforços do Sindicato, nada de negociação até agora. Assim, os trabalhadores continuam com o Plano de Luta e entram em greve por tempo indeterminado.
 
Além de pressionar a abertura de negociação, a categoria já demonstrou que tem  disposição de luta para resistir à venda da CESP. Até o fim. De braços cruzados. Até esta sexta-feira (25), o Sindicato ainda buscava negociação.

  Categorias: