MME sinaliza possibilidade de desligar térmicas em fevereiro

31 janeiro 18:03 2008

O Ministério de Minas e Energia já cogita o desligamento de térmicas em fevereiro, caso sejam mantidas as condições hidrológicas apresentadas nos últimos dias, que resultaram em recuperação dos reservatórios. Segundo o ministro Edison Lobão, o aumento das chuvas neste mês de janeiro permitiu a recuperação (do nível dos reservatórios) de bacias hidrográficas, de modo que já se pode analisar em breve o desligamento de pelo menos parte das térmicas que operam para preservar o nível dos reservatórios.


Lobão participou nesta quarta-feira, 30 de janeiro de reunião do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico. O entendimento do CMSE é de que o atendimento ao mercado está assegurado, diante da confirmação da ocorrência do fenômeno da Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS), conforme previsto na última reunião do comitê, na semana passada. Com isso, destaca o ministério, os níveis de chuvas, principalmente no submercado Sudeste/ Centro-Oeste, estarão em elevação e o fenômeno deve durar até o próximo dia 06 de fevereiro.


O MME comentou ainda que estão previstas novas frentes frias que atingirão o Sudeste no dia 10 de fevereiro. Nesse caso, de acordo com o MME, as bacias dos rios Tietê, Grande, e São Francisco – em especial o montante de Três Marias, MG – deverão apresentar níveis de chuvas superiores às médias históricas, enquanto as bacias dos rios Tocantins, Iguaçu e o trecho do rio São Francisco têm previsões de chuvas próximas da média.


Ainda de acordo com o MME, a Agência Nacional de Águas confirmou no comitê o início, na última semana, da primeira etapa da redução da defluência do rio São Francisco, a jusante da hidrelétrica de Sobradinho, de 1.300 metros cúbicos por segundo para 1.200 metros cúbicos por segundo. Além disso, o MME ressaltou que o Operador Nacional do Sistema Elétrico apresentou providências relativas ao despacho adicional de térmicas, em função da maior disponibilidade de gás pela Petrobras.


Lobão também anunciou a possível assinatura, pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis, ainda hoje, da licença de operação do gasoduto Cabiúnas – Vitória. Com a entrada em operação do gasoduto, prevista para o próximo dia 15 de fevereiro, o empreendimento permitirá adição de mais 1.000 MW, com a operação de 5,5 milhões de metros cúbicos diários, segundo projeções da Petrobras. A geração ocorreria através das térmicas Termorio e Macaé.


Sociedade civil – A próxima reunião do CMSE poderá contar com a participação de representantes de entidades da sociedade civil. Segundo o ministro, a medida tem objetivo de dar mais transparência às reuniões. (Fábio Couto)

  Categorias: