Sem horário de verão, demanda por energia exigiria investimentos de US$ 1 bi em geração, mostra ONS

15 fevereiro 13:57 2008

Sem o horário de verão 2007/2008, que termina à zero hora do próximo domingo, seria necessário investir mais de US$ 1 bilhão na construção de novas termelétricas para suprir o crescimento do consumo de energia, informou, neste sexta-feira, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).


Levantamento preliminar aponta que o adiantamento de uma hora em algumas regiões do país gerou uma redução de 4,2% (ou 1.557 megawatts de uma demanda máxima de 38.357 MW) no consumo de energia das regiões Sudeste e Centro-Oeste, no horário de pico (das 19h às 22h), equivalente a 60% no horário de ponta da cidade do Rio de Janeiro.


Ainda segundo o ONS, na região Sul a economia foi de 4,8% ou 480 MW da demanda máxima de 10.520 MW. Tal economia corresponde a 80% da demanda de pico de Curitiba. Para atender a essa demanda no horário de verão, segundo o ONS, seria necessária a construção de uma térmica a gás natural com investimentos de US$ 240 milhões.


Já para atender às necessidades das regiões Sudeste/Centro-Oeste no mesmo período teria que se gastar US$ 778,5 milhões na construção de mais uma térmica a gás. ‘A adoção do horário de verão propicia a racionalização de investimentos em geração e transmissão para o atendimento ao aumento da carga no período de verão’, defendeu o ONS, em nota.

  Categorias: