CMSE decidirá na próxima reunião, no dia 28 de fevereiro, sobre operação termelétrica este ano

18 fevereiro 10:52 2008

Para Márcio Zimmermann, preocupação da operação não é com foco no curto prazo, mas sim com o ano inteiro e com 2009


O governo vai esperar até a próxima semana para decidir se manterá acionadas ao longo de 2008 ou não as termelétricas despachadas para preservar o reservatório das hidrelétricas. O Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico vai se reunir no próximo dia 28 de fevereiro para tratar do tema. Segundo o secretário executivo do Ministério de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, a preocupação da operação não é com foco no curto prazo, mas sim com o ano inteiro e com 2009. Na avaliação do ministro, nesse momento ainda não seria recomendável desligar as térmicas.


O despacho foi determinado em janeiro diante da redução acelerada do armazenamento dos reservatórios, com pouca chuva e alta demanda. O submercado Sudeste/Centro-Oeste chegou a ter níveis médios abaixo da curva de aversão ao risco. Por conta da geração térmica, a economia de energia proporcionada pelo horário de verão, estimada em R$ 40 milhões, acabou sendo reduzida em 75% – ficando em R$ 10 milhões neste período.


Zimmermann comentou ainda que não acredita numa redução da entrega de gás natural pela Bolívia. Segundo ele, o país vizinho nunca descumpriu o contrato de fornecimento e assegurou que pretende manter o fornecimento do montante estipulado. Nesta semana, o vice-presidente da Bolívia, Álvaro Garcia Linera, chegou a tratar com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva a respeito de uma redução no fornecimento do gás – de 30 milhões de metros cúbicos diários para uma média de 27 milhões de metros cúbicos diários – como forma de atender aos contratos brasileiro e argentino. (Fábio Couto)

  Categorias: