Gazeta Mercantil: Cesp vai a leilão com valor mínimo de R$ 6,6 bilhões

21 fevereiro 12:58 2008

O preço mínimo para a compra da terceira maior geradora de energia do País – a Companhia Energética de São Paulo (Cesp), pertencente ao governo paulista – foi estabelecido nesta quarta-feira. Cada uma das 133,2 milhões de ações que serão vendidas, entre ON, PNA e PNB, recebeu o piso de R$ 49,75. No total, isso equivale a 40,6% do capital da companhia e a um valor de R$ 6,6 bilhões, preço que se aproxima dos R$ 7,05 bilhões que o Santander pagou pelo Banespa em 2000, uma das maiores privatizaçõe da última década.


De acordo com o cronograma apresentado pela Secretaria da Fazena do Estado, o edital referente à venda da estatal será divulgado na próxima segunda-feira, dia 25. O leilão será realizado em 26 de março, no edifício da Bovespa, em São Paulo.


Para a Ativa Corretora, ‘apesar da prontidão sinalizada pelo governo de São Paulo, não acreditamos, contudo, que os prazos inicialmente determinados sejam plenamente cumpridos, devido ao risco de ocorrência de novas liminares.’


Na lista de empresas interessadas, estão nomes como Tractebel Energia, CPFL Energia e Neo Energia, do grupo Iberdrola, da Espanha. A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) e a Companhia de Energia Elétrica do Paraná (Copel) também já manifestaram interesse, mas terão de aguardar as normas do edital, já que um processo de privatização não prevê a compra por outras estatais.


Para o analista da área de energia do Unibanco, Fernando Abdalla dos Santos, o custo total da operação de venda da Cesp pode ser ainda maior que os R$ 6,6 bilhões estabelecidos. Ele cita os gastos com tag along de ações ordinárias e preferenciais que o grupo vencedor terá de desembolsar e estima que, com isso, a operação possa atingir cerca de R$ 15 bilhões, desconsiderando ainda dívida de R$ 7 bilhões da companhia.


Consórcios

‘Nenhum grupo hoje no Brasil teria condição de fazer essa aquisição sozinho. O mais provável é que se forme um consórcio, e a chance (da venda) sair pelo preço mínimo é muito grande’, avalia.


O governo de São Paulo deve entregar ainda 8,9 milhões de ações preferenciais da geradora à BNDESPar, empresa de participações do BNDES, para pagar dívida do Metrô com o banco de fomento. A informação foi divulgada pela Secretaria da Fazenda paulista nesta tarde.


Para o analista do Unibanco, o preço ficou dentro das estimativas do banco e dentro de uma faixa média de preço que o governo paulista adotou na privatização da empresa de transmissão de energia, a Cteep, em junho de 2006.


A Cesp tem potência instalada total de 7.455,30 MW, distribuídas pelas usinas Ilha Solteira, Porto Primavera, Jupiá (no Rio Paraná), Três Irmãos (no Rio Tietê), Paraibuna e Jaguari (na bacia do Rio Paraíba do Sul). É menor apenas que a Eletrobras e a Furnas. (Juliana Elias e Reuters)

  Categorias: