Custo da cesta básica caiu em 11 de 16 capitais pesquisadas

03 março 14:21 2008

O custo da cesta básica teve queda em 11 das 16 capitais pesquisadas pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-Econômicos) em fevereiro.


A maior queda foi verificada em Goiânia (baixa de 5,16%) para R$ 185,06, seguido por Belo Horizonte (retração de 4,87%), para R$ 206,42, e Salvador (recuo de 3,03%), para R$ 167,77.


A cesta básica ficou mais cara em cinco capitais. A maior variação (6,31%) foi verificada em João Pessoa, onde a cesta básica atingiu R$ 169,88. Em Fortaleza, o custo da cesta básica também teve forte alta (4,40%), para R$ 171,94, seguido por Recife (avanço de 3,07%), para R$ 172,03, segundo levantamento do Dieese.


Em São Paulo, que detém a cesta básica mais cara do país (R$ 226,20), o custo caiu 1,26%. No Rio de Janeiro, onde o custo da cesta básica atingiu R$ 203,82, houve declínio de 1,16%.


No acumulado de 12 meses, o custo da cesta básica subiu 21,64% em São Paulo, e 14,71% no Rio de Janeiro. Dentre as 16 capitais pesquisadas, foi a cidade paulista onde a variação anual foi maior. Em segundo lugar aparece Natal, com variação anual de 21,21%, e Fortaleza, onde o custo teve alta de 20,30%.


O Dieese também calcula o que chama de salário mínimo necessário, considerando o preceito constitucional, que prevê o atendimento das necessidades do trabalhador em alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência pelo salário mínimo. Em fevereiro, o piso estimado é de R$ 1.900,31, considerando a cesta básica paulista.

  Categorias: