Energéticos participam de eleição em todo estado de SP

19 março 16:50 2008

Votação ocorre na segunda (17) e terça (18). Novas direções do STIEEC e do Sinergia CUT terão mandatos de três anos


Na segunda e terça da semana que vem, dias 17 e 18 de março, trabalhadores das mais de 50 empresas energéticas paulistas participam de duas eleições paralelas e simultâneas para renovação das direções do STIEEC (Sindicato dos Eletricitários de Campinas) e do Sinergia CUT (Sindicato dos Trabalhadores Energéticos do Estado de São Paulo). A apuração acontecerá no dia 19 (quarta), a partir das 13h, e será centralizada em Campinas, na sede do Sindicato dos Petroleiros. Todo o processo das duas eleições está sendo encaminhado por uma Junta Eleitoral.


O Colégio Eleitoral é formado por cerca de 13 mil trabalhadores da ativa e aposentados, filiados às entidades há seis meses, no mínimo, e em dia com as mensalidades. Nos dois dias de eleição a votação acontecerá das 7h às 17h30, através de 75 urnas fixas e itinerantes que percorrerão várias cidades do estado espalhadas pelas dez macrorregiões dos Sindicatos: Baixada Santista, Bauru, Campinas, Ilha Solteira, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Rio Claro, São José do Rio Preto, São Paulo e Vale do Paraíba.


Chapas únicas
Sem oposição, as eleições envolvem apenas as chapas de situação (Chapa 1), intituladas ‘A Chapa da Categoria’, para mandatos de três anos – 2008 a 2011. A direção colegiada do Sindicato dos Eletricitários de Campinas é formada por 70 trabalhadores e propõe para a presidência a eleição de Gentil Teixeira de Freitas, técnico de Laboratório da CESP e atual secretário-geral do STIEEC e do Sinergia CUT. Já a chapa do Sinergia CUT, formada por 113 trabalhadores, é encabeçada por Jesus Francisco Garcia, técnico da CPFL, atualmente vice-presidente do STIEEC e tesoureiro da Federação Nacional dos Urbanitários (FNU/CUT).


O Sindicato dos Eletricitários de Campinas foi uma das primeiras entidades conquistadas pela oposição cutista no interior de São Paulo, em 1987, e atualmente envolve trabalhadores das empresas de energia elétrica da grande maioria das cidades paulistas, como Grupo CPFL Energia, Elektro, Grupo Rede, CTEEP, CESP, AES Tietê, Duke Energy, entre outras.


Junto com o Sindicato dos Gasistas do Estado de São Paulo, os eletricitários fundaram o Sinergia CUT, que desde 1997 unificou os trabalhadores de todas as empresas energéticas de São Paulo em uma só entidade e acabou se transformando em referência nacional de liberdade e autonomia sindical na prática.


Hoje, fazem parte do Sinergia CUT, além do Sindgasista e do STIEEC, o Sindprudente (Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Energia Hidroelétrica de Presidente Prudente) e o SindLitoral  (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Energia Elétrica de Itanhaém, Bertioga, Guarujá, Litoral Sul e Vale do Ribeira).


O atual presidente da CUT Nacional, o eletricitário e um dos fundadores do Sinergia CUT, Artur Henrique da Silva Santos, é candidato à reeleição na Direção Colegiada tanto do STIEEC quanto do Sinergia CUT.

  Categorias: