LEILÃO FRACASSA. DE NOVO

26 março 11:45 2008

Sete anos depois, pressa tucana ainda atropela legalidade e desrespeita população de SP. ‘Negócio’ fracassa pela terceira vez. Fracasso tucano, vitória dos trabalhadores e do povo paulista


Poucos minutos depois do meio-dia da última terça-feira (25),  a boa notícia começou a circular: informações extra-oficiais davam conta de que nenhum dos grupos anteriormente interessados em arrematar a CESP apresentou as garantias para participar do leilão que o governo do tucano Serra insistia em realizar nesta quarta-feira (26), na Bovespa.


Junto com o Sinergia CUT, o portal do Estadão foi o primeiro a publicar a boa notícia, destacando que a informação havia sido confirmada por fontes ligadas à operação.


Para participar do leilão, os eventuais interessados na compra da terceira maior geradora do Brasil tinham exatamente até o meio-dia para apresentar suas garantias – no valor de R$ 1,74 bilhão –  junto à Câmara Brasileira de Liqüidação e Custódia (CBLC).


Por volta das 13h30, a CBLC publicou comunicado informando que ‘após encerrado o prazo determinado no cronograma do edital de alienação de ações do capital social da CESP, os participantes pré-identificados não apresentaram garantias financeiras’.


‘Bacia das almas’
Silêncio no Palácio dos Bandeirantes, agora ocupado pelo tucano José Serra, que dá continuidade à política neoliberal e à privataria que começou em São Paulo há quase treze anos.


Pressionado pela grande imprensa, Serra afirmou que os compradores tentaram, até o fim, diminuir o preço mínimo para a compra da estatal. ‘O pessoal queria um valor menor, mas nós não vendemos na bacia das almas’, disse o governador a jornalistas. Não é verdade.


Vitória da resistência
A verdade é que o novo fracasso é resultado da  pressão e da resistência do Sinergia CUT, dos trabalhadores e dos movimentos sociais que continuam denunciando as inúmeras ilegalidades, resultado da pressa do trator tucano.
‘No governo Lula,  a  gestão tucana não teve a mesma facilidade para conseguir dinheiro, inclusive no BNDES, como teve o ex-governador Alckmin durante o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso’, alerta Gentil Teixeira de Freitas, secretário geral do Sinergia CUT. ‘O patrimônio construído com o suor do povo tem que ficar nas mãos da população’, completa.


AS ÚLTIMAS MENTIRAS DE SERRA


Mentira 1 – No último dia 06 de março, o governador tucano divulga nota à imprensa afirmando que havia recebido garantias do presidente Lula de que a renovação das concessões das usinas de Ilha Solteira e de Jupiá estavam certas. Foi desmentido pouco tempo depois – pelos fatos e por nota oficial do ministro das Minas e Energia, Edson Lobão.


Mentira 2 – Semana passada, no último dia 22, a assessoria do governador tucano distribui outra nota à imprensa para divulgar reunião com o presidente do BNDES, Luciano Coutinho. A nota afirmava que o banco garantiria o fianciamento de 50% do preço mínimo do leilão. Foi desmentido pelos fatos e pelo fracasso na venda.  



MEMÓRIA
Depois de entregar quase todo o patrimônio energético de SP, o tucano Alckmin fracassou em outras duas tentativas de vender a CESP. A primeira foi em 6 de dezembro de 2000, em meio a batalhas judiciais. O leilão remarcado para  16 de maio de 2001 foi novamente cancelado por falta de interessados e por liminar conquistada pelo Sindicato. Sete anos depois, o terceiro fracasso vai para a conta do tucano Serra. 

  Categorias: