Tomam posse as novas direções do Sinergia CUT e dos Eletricitários de Campinas

28 abril 12:03 2008

O presidente da Câmara Arlindo Chinaglia e o presidente da CUT Artur Henrique foram algumas das lideranças presentes


As novas direções do Sinergia CUT e do Sindicato dos Eletricitários de Campinas (STIEEC) tomaram posse no último dia 30 em cerimônia realizada na casa de Eventos Excalibur, em Campinas.


O Sinergia CUT, com 113 dirigentes empossados, passa a ser presidido por Jesus Francisco Garcia, sucessor de  Djalma de Oliveira, que continua na direção da entidade. Gentil Teixeira de Freitas assumiu a presidência do STIEEC no lugar de Wilson Marques de Almeida, que também permanece na direção do Sindicato, composta por 70 sindicalistas.


Ao tomarem posse, os dirigentes das duas entidades reafirmaram os princípios e prioridades de luta através de Carta Compromisso lida e assinada por todos.


A solenidade de posse contou com a presença de lideranças políticas e sindicais, como o presidente da Câmara Arlindo Chinaglia, o deputado  estadual Rui Falcão, o presidente do PT Campinas Sebastião Arcanjo, o presidente da CUT Nacional Artur Henrique da Silva Santos, o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC José Lopes Feijoó e o coordenador da Federação Nacional dos Urbanitários (FNU) Jeová Pereira de Oliveira.


Nas saudações aos energéticos, todos os convidados foram unânimes em reconhecer a importância do Sinergia CUT como referência de liberdade e autonomia sindical na prática, exemplo de vanguarda e ousadia há mais de dez anos.


Com uma renovação de 30% e representatividade de trabalhadores de todas as empresas energéticas do estado, as novas direções assumem reafirmando que ‘ética, transparência, democracia, solidariedade, liberdade e autonomia continuarão sendo os princípios para continuarem a escrever a história de luta e conquista dos energéticos de São Paulo’.


Para tanto, fortalecer e ampliar a Organização por Local de Trabalho, defender a redução da jornada sem redução de salário, avançar na luta contra a terceirização, pela volta da aposentadoria especial, pelo fim da discriminação e pelo controle social de energia para garantir a qualidade de um serviço público e tarifas acessíveis à população, continuam sendo os compromissos prioritários para o mandato dos próximos três anos.

  Categorias: