CESP parada. Pagamento da PRR já!

02 junho 10:53 2008

Centenas de trabalhadores da CESP participam de mobilização e assembléia na manhã desta segunda-feira (02) em várias cidades do interior paulista. A manifestação de meio período é um protesto da categoria contra o atraso do pagamento da PRR, tradicionalmente depositada em abril. Neste ano, o governo Serra ainda não autorizou o pagamento da PRR.


Organizada pelo Sinergia CUT e aprovada em assembléias, a mobilização envolve trabalhadores da empresa nas usinas de Ilha Solteira, Jupiá e Porto Primavera.


Mais Burocracia
Nos anos anteriores, o pagamento precisava do aval do Codec para liberação, depois de aprovado pela AGO (Assembléia Geral Ordinária). Mas, este ano, o governo tucano mudou as regras e tornou a liberação ainda mais burocrática, com necessidade de aprovação também do Conselho de Administração (CA) e do Conselho Fiscal (CF) da empresa.


O pagamento já foi aprovado pela AGO e pelo CA, em reuniões realizadas no final de abril passados. No dia 14 de maio, finalmente o CF também aprovou o pagamento e encaminhou a documentação para o Codec que, até agora, não se manifestou.


Nada de resposta
Além de cobrar a direção da geradora em diversas oportunidades, o Sinergia CUT encaminhou correspondência a vários secretários de governo para exigir o pagamento já. O Sindicato reivindicou mais atenção e respeito aos trabalhadores de Aloisio Nunes Ferreira (Casa Civil), Sidney Beraldo (Gestão Pública) e Dilma Pena (Saneamento e Energia), além de Guilherme Cirne de Toledo, presidente da CESP.


Diante do silêncio do governo tucano, os trabalhadores aprovaram um plano de luta em assembléias realizadas  durante toda a semana passada, começando pela mobilização de quatro horas nesta segunda.
Exigem o pagamento imediato da PRR. Caso contrário, o Sinergia CUT já articula com as demais entidades um movimento unificado em todo estado de SP.  

  Categorias: