Mais de 1,5 milhão de assinaturas pela redução da jornada

04 junho 18:28 2008

Dirigentes do Sinergia CUT também estiveram presentes na emprega do abaixo-assinado

A CUT marcou presença no Congresso Nacional nesta terça-feira (03), junto com as centrais sindicais, para a entrega do abaixo-assinado pela Redução da Jornada de Trabalho, sem redução de salários – em defesa das 40 horas semanais. A campanha nacional conjunta foi iniciada em janeiro e ultrapassou 1,5 milhão de assinaturas, atingindo assim a quantidade proposta pela campanha.

Dirigentes da CUT Nacional, centenas de lideranças e militantes CUTistas, representando os mais diversos ramos e categorias, lotaram o auditório Ulisses Guimarães, em defesa da PEC 393/01, durante sessão da chamada Comissão Geral, ocorrida no período da manhã.
 
O presidente da Câmara, deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), abriu a palavra aos presidentes das centrais, que fizeram pronunciamentos ao plenário pedindo que votem com a classe trabalhadora pelas 40 horas.
 
O presidente nacional da CUT, Artur Henrique, durante sua fala reiterou que o crescimento e o desenvolvimento do país estão atrelados às melhores condições de trabalho e de vida, e a Redução da Jornada de Trabalho para 40 horas é fator fundamental para isso. ‘Além de gerar mais empregos, a redução da jornada sem redução de salário significa qualidade de vida, já que propicia ao trabalhador e à trabalhadora mais tempo para o convívio familiar e social, mais tempo para o lazer, para a cultura, para o estudo e qualificação profissional – o que beneficia toda a sociedade’.

No plenário, vários deputados pronunciaram-se a favor da Redução da Jornada, reivindicação conjunta das centrais sindicais. Chinaglia declarou às entidades presentes que haverá um esforço da casa para que as negociações entre governo, trabalhadores e empresários se iniciem na semana que vem.

A agenda em Brasília continuou no período da tarde. Às 16h00 as centrais sindicais entregaram os abaixo-assinados ao presidente do Senado Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN). Segundo o senador, o assunto terá a prioridade devida no Senado, e se comprometeu publicamente com os sindicalistas a colocar o tema em votação após o destrancamento da pauta – travada por seis Medidas Provisórias.

‘Vamos iniciar agora uma campanha permanente para acompanhamento dos projetos importantes que estão na pauta do trabalhador – a redução da jornada e a ratificação das convenções 151 e 158 da OIT’, finaliza Artur. (Paula Brandão)

  Categorias: