CS 2008: CPFL propõe só 5,41%. Sindicato rejeita

12 junho 19:11 2008

O Sinergia CUT participou, na manhã desta quinta-feira (12) de rodada de negociação com a direção da CPFL. A proposta apresentada pelo negociadores da empresa foi de 5,41% para reajuste dos salários.


O percentual proposto corresponde ao IPC (Índice de Preços ao Consumidor) medido pela Fipe nos doze meses de junho de 2007 a maio de 2008. A data-base da categoria é 1° de junho.


O Sindicato rejeitou a proposta de imediato reafirmando que o índice apresentado não reflete os bons resultados financeiros e o ótimo desempenho da empresa, além de não reconhecer o empenho dos trabalhadores, decisivo para essas conquistas. Reafirmou também que a categoria quer negociar todas as reivindicações da pauta.


Os números apontam que a CPFL Energia só registrou aumentos: mais 25% no resultado de serviços, mais 15% na receita líqüida e mais 7,72% no número de consumidores. ‘Em contrapartida, o número de trabalhadores terceirizados da empresa é de 64%, o que demonstra que o aumento do lucro anda junto com o aumento da precarização dos serviços prestados’, argumentaram os diretores do Sinergia CUT. 


Além disso, o Sindicato destacou que, entre 2001 e 2007, a empresa concedeu reajuste de 60,31%, enquanto a inflação acumulada medida pelo Dieese no mesmo período foi de 68,47%, o que representa, só aí, uma perda de massa de mais de 8%.


Depois de uma pausa, os negociadores da CPFL insistiram no reajuste apresentado, mas afirmaram que estão dispostos a discutir aumento real e benefícios do kit alimentação, inclusive vale alimentação. Também garantiram a cláusula de PLR, que deve ser negociada fora do Acordo Coletivo.


A próxima rodada acontece na quarta-feira (18) da semana que vem, às 10h.

  Categorias: