Reunidos em assembléia, professores paulistas decidem manter paralisação

23 junho 16:09 2008

Os cerca de 60 mil professores que participaram da assembléia geral estadual, realizada na sexta-feira, 20, no vão livre do MASP, na avenida Paulista, rejeitaram a proposta de reajuste – de até 12% – anunciada pelo governo na quinta-feira, e decidiram manter a greve iniciada dia 13, exigindo a revogação do Decreto 53037 e da Lei 1041.
Além disso, os professores reivindicam um reajuste que reponha as perdas salariais acumuladas desde 1998 – que chega a um índice de 35% –, a incorporação imediata de todas as gratificações, extensiva aos aposentados, e o fim da política de bônus. Estudos realizados pela subseção do Dieese, a arrecadação do ICMS vem batendo recordes, o que possibilita ao governo incorporar todas as gratificações imediatamente e ainda oferecer um índice de reajuste aos professores. Ou seja, dinheiro há. O que falta é vontade política para melhorar a Educação Pública no Estado de São Paulo.

A APEOESP (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo) mantém ainda a reivindicação pela realização de concurso público estadual classificatório, considerando-se o tempo de serviço de cada docente.

Ao final da assembléia, a APEOESP participou, na Praça da República, do ato unificado da Educação, junto com o CPP, a Udemo, a APAMPESP, a Afuse e a APASE. Estas entidades devem realizar assembléias a partir desta semana.

Calendário aprovado:
Dias 23, 24 e 25:
visita às escolas e reunião com pais
Dia 24: Audiência Pública ‘Direito à Vida: a Lei 1041 e as doenças profissionais dos professores’, 14 horas, Assembléia Legislativa
Dia 26: assembléias regionais (as subsedes devem obedecer a data para a realização de assembléia)
Dia 27: Assembléia Geral Estadual, às 15 horas, no vão livre do MASP


As reivindicações:
– Revogação do Decreto 53037 e da Lei 1041
– Reajuste salarial já, que reponha as perdas salariais
– Incorporação das gratificações aos salários com extensão aos aposentados
– Realização de concurso público classificatório para todas as disciplinas
– Um novo Plano de Carreira;
– Fim da aprovação automática;
– Liberdade de cátedra;
– Extensão do ALE para todas as unidades;
– Gestão democrática e autonomia da escola;
– No máximo 35 alunos por sala;
– Melhores condições de trabalho;
– Garantia de emprego e estabilidade a todos os professores.

DIA 27 DE JUNHO – 15 HORAS – VÃO LIVRE DO MASP

  Categorias: