Plenária Estatutária da CUT-SP: Leia a nota do presidente Edilson de Paula

26 junho 17:09 2008

AOS DELEGADOS E DELEGADAS


Romper com o autoritarismo de Serra e avançar nas conquistas para a classe trabalhadora
A nossa plenária estatutária acontece em um momento conjuntural importante. Os principais fatos que marcam o atual cenário são a continuidade do autoritarismo do governo Serra (PSDB), as incertezas com relação ao aumento da inflação e os  projetos neoliberais e do campo democrático popular que estão  em disputa nas eleições municipais que acontecerão em todo o país neste segundo semestre.


É neste cenário de disputas e perspectivas que é fundamental que a CUT São Paulo se posicione de forma contundente e propositiva. A nossa Central tem que se apresentar, mostrando suas propostas, mobilizando a população, assumindo uma posição clara a respeito dos projetos em disputas visando priorizar o combate à inflação e continuar no avanço nas conquistas da classe trabalhadora. Tarefas nas quais os cutistas não podem titubear.


As derrotas dos setores progressistas da prefeitura de São Paulo, em vários municípios do Estado, nas eleições de 2004 colocaram o Estado de São Paulo na linha de frente da continuidade do modelo neoliberal-conservador. No entanto, o bom momento econômico que o país está atravessando  com o crescimento expressivo da indústria que tem refletido positivamente na cadeia produtiva com a geração de empregos, nos fortalecem para irmos às ruas fazermos a disputa para elegermos os representantes que estão mais próximos dos anseios da população.


Temos que continuar a nossa luta no combate às privatizações e intervir junto ao governo estadual no sentido de reforçar as nossas propostas que visam otimizar o crescimento econômico com distribuição de renda, bem como promover  melhorias na qualidade da educação e saúde, saneamento básico, segurança, moradia e preservação ambiental.


Outra luta fundamental é pela democratização dos meios de comunicação. Temos que combater esta mídia elitista paulista que trabalha o tempo todo contra os movimentos populares e sociais e se tem se posicionado a favor das políticas neoliberais adotadas no nosso Estado.


Jamais podemos esquecer que é papel fundamental do movimento sindical construir mecanismos alternativos de comunicação que atinjam os trabalhadores e, o mais importante, façam o contraponto com esta mídia, mostrando as nossas propostas e democratizando a informação à população. Não podemos assistir de maneira pacífica o acobertamento desta imprensa, que é blindagem das políticas do governo Serra e, em razão disso, tem ausência do noticiário o abandono deste governo às políticas públicas e sociais. Esta mesma mídia tem feito uma oposição sistemática às ações do governo federal e criminalizando os movimentos sociais.


No que tange ao cenário nacional, os bons momentos da economia, fruto das ações implementadas pelo governo federal, têm sido essenciais para impulsionar o desenvolvimento do país, principalmente, na geração de empregos e na melhoria do poder de compra das famílias. No entanto, é fundamental valorizar a continuidade das nossas bandeiras, como a Jornada de 40 horas, sem redução nos salários, o Combate à rotatividade no mercado e a Luta por mais desenvolvimento e Menos Juros. A CUT/SP vai continuar sendo a interlocutora destas lutas em defesa do povo de São Paulo e do Brasil.


Sejam bem-vindos!
Sejam bem-vindas!

  Categorias: