AES Tietê: tem que melhorar!

27 junho 14:11 2008

Quarta rodada ocorreu na terça (24). Assembléias acontecem entre esta quinta (26) e segunda (30). Mobilização na semana que vem


Ainda dá para melhorar mais. Esta é a posição do Sinergia CUT com relação a proposta apresentada pela AES Tietê na quarta rodada de negociação da Campanha Salarial 2008, ocorrida na última terça (24).
A nova proposta, conquistada mediante muita negociação também nessa última mesa,  apresentou evolução com relação às anteriores, sobretudo no índice do reajuste.


Os salários até R$ 7 mil seriam reajustados em 6,5% (e não mais em 5,5% como proposto pela empresa anteriormente). Os maiores de R$ 7 mil receberiam um reajuste fixo de R$ 450. Além disso, todos os trabalhadores ganhariam um abono extra de R$ 280 em vales VA/VR.


A proposta também apresenta evolução em outros pontos. A gratificação de férias teria um reajuste de 10%. A empresa propôs implementar até dezembro de 2008 uma política de cargos e salários a ser discutida com o Sindicato até 15 de outubro próximo.


As horas extras seriam quitadas integralmente a cada três meses, a partir de julho. Para tanto, haveria uma retenção de 15 horas extras/mês. Ou seja, a empresa reteria do trabalhador o valor correspondente a 15 horas extras por mês realizando o pagamento mensal das horas excedentes. No final do terceiro mês, a empresa pagaria integralmente todas as horas retidas mais as realizadas naquele mês. Ressaltando que a compensação das horas ainda poderia ser realizada dependendo da opção do trabalhador.


Com relação aos benefícios, haveria uma redução no valor de face, mas com incorporação da diferença nos salários.  Ao contrário da proposta anterior, o valor do VA/VR (R$ 601) seria reajustado em 12% (passaria a R$ 673,12) antes de ser desmantelado (leia mais abaixo).


Demais itens
Quanto ao 13º salário, a AES Tietê aceitaria alterar o mês do pagamento da antecipação da primeira parcela para janeiro, permanecendo a opção de realização desse pagamento da forma atual caso haja solicitação do trabalhador.


Quanto a Bolsa de Estudos, a AES Tietê propõe negociar em 90 dias os critérios e valores e o quadro mínimo da empresa aumentaria de 260 para 270 trabalhadores.


Contraproposta para avançar mais
O Sindicato não concordou com a proposta e entende que, apesar dos avanços  nas negociações com a AES Tietê, ainda há como melhorá-la para que não haja precarização ou prejuízo aos trabalhadores.
Por isso, no final das discussões dessa rodada, o Sinergia CUT apresentou uma contraproposta: reajuste sem discriminação de 7,4% nos salários, além de um abono a todos os trabalhadores de R$ 600 a R$ 1 mil. Mais: VA/VR único com reajuste de 15,72%. Nova rodada foi agendada para o dia 03 de julho, às 10h30.


Assembléia e plano de luta
O Sinergia CUT realizará assembléias informativas nos locais de trabalho entre esta quinta (26) e segunda (30) para discutir a proposta. De segunda (30) até a quarta (02) próximas, os trabalhadores participarão da mobilização com café da manhã no portão de entrada dos locais de trabalho. Porque A Gente Vale Mais!


VA/VR: a confusão dos três vales


A AES Tietê propôs redução no valor de face  com incorporação da diferença nos salários. O valor do VA/VR seria reajustado em 12%, mas seria subdividido.


Seriam criados um vale alimentação das férias no valor de R$ 253,50 e também um vale alimentação mensal com o valor de R$ 90 (com 20% de desconto para o trabalhador), além do VA/VR mensal de R$ R$ 396 (com desconto proporcional ao salário).


A diferença entre o tíquete reajustado (R$ 673,12) e os benefícios agora propostos pela empresa (R$ 489,13) é de R$ 184.


Ao incorporar esse valor ao salário, o trabalhador teria um ganho de aproximadamente R$ 73 se levado em conta o salário médio.

  Categorias: