CPFL propõe alternativa…

22 julho 09:07 2008

.. mas não oficializa. Com isso, continua valendo a proposta oficial da CPFL, já foi rejeitada pelo Sindicato e que será avaliada nas assembléias desta semana juntamente com o plano de luta


Na tarde de quinta (17) da semana passada – dois dias depois do décimo ato unificado e de protesto que reuniu dirigentes de todos os sindicatos, federações e centrais sindicais que estão na Campanha Salarial da CPFL Energia e que vêm buscando a reabertura imediata da negociação – a direção da CPFL convocou os sindicatos para uma reunião de esclarecimentos.


Esse foi motivo que fez com que o Sindicato adiasse as assembléias convocadas para as últimas quinta (17) e sexta (18).


Depois de muito debate, o Sinergia CUT cobrou uma resposta da CPFL Energia à contraproposta apresentada pelas entidades.


O diretor de RH afirmou que o máximo que poderia propor aos sindicatos era a seguinte proposta alternativa: reajuste de 6,8% para salários até R$ 4.500; fixo de R$ 306 para salários entre R$ 4.500,01 e R$ 5.660; e reajuste de 5,41% para salários acima disso. Na PLR, a antecipação seria de R$ 1.200 fixos.


Mas, ao final, a direção da CPFL não oficializou essa proposta alternativa ao Sinergia CUT. Resumindo: o impasse continua e a proposta oficial da CPFL continua sendo a que já foi rejeitada pelo Sindicato (confira abaixo).
 
Assim, o Sinergia CUT convoca assembléias durante esta semana para que os trabalhadores analisem a proposta oficial e o plano de luta para pressionar avanços e garantir um Acordo Coletivo justo aos trabalhadores.  Aguarde informações.


A proposta oficial



  • 6,8% de reajuste para salários até R$ 2.200, o que significa 1,76% de aumento real em relação ao ICV e 1,31% em relação ao IPC- Fipe;
  • para os salários entre R$ 2.201 a R$ 2.493,40 a holding propõe acréscimo de R$ 149 fixos (6,37% em média);
  • para salários a partir de R$ 2.493,50, o reajuste continuaria de 6%;
  • VA e VR continuariam com os reajustes anteriormente propostos: 20% e 10%, respectivamente, agora com um bônus de R$ 300 em forma de VA e pagamento em setembro próximo;
  • o montante para PLR passou para 1,11% do Resultado de Serviço de 2008. A novidade é que a proposta inclui o pagamento de um adiantamento de R$ 1 mil fixos em setembro próximo.

A contraproposta do Sindicato
Já a contrapoposta feita reivindicou o reajuste salarial de 6,8% para todos os trabalhadores; abono de R$ 300 pago através do VR; PLR com percentual maior do Resultado do Serviço e fixado para as PLRs até 2012 – com antecipação de 50% do salário em setembro, garantindo no mínimo R$ 1.500.



 

  Categorias: