Finalmente, CPFL Energia oficializa nova proposta

24 julho 20:30 2008

Diante da disposição de luta, direção da holding reabre negociação com o Sinergia CUT. Novas assembléias acontecem na próxima semana


A disposição de luta dos trabalhadores da CPFL Energia forçou os negociadores da holding a reabrir negociação com a direção do Sinergia CUT, na tentativa de evitar a paralisação de 24h marcada para a próxima terça-feira (29).


Em todas as assembléias realizadas durante esta semana – entre terça (22) e quinta (24) – os trabalhadores acataram o encaminhamento do Sindicato para rejeitar a última proposta oficial da CPFL, reivindicar a reabertura imediata da negociação e, caso  isso não acontecesse, iniciar o plano de luta com paralisação de um dia até a greve por tempo indeterminado.


Agora é oficial
Diante do resultado das assembléias, a CPFL Energia convocou o Sinergia CUT para mais uma rodada de negociação no final da manhã desta quinta-feira (24), na sede da holding em Campinas.


Durante a reunião, os negociadores da CPFL finalmente oficializaram a proposta apresentada informalmente na semana passada. Mais: durante a negociação, o Sindicato pressionou avanços e conquistou outras quatro reivindicações dos trabalhadores, que foram incorporadas à nova proposta.


Mais conquistas
A holding agora topa estender a validade do Acordo Coletivo até 2010, com manutenção de todas as demais cláusulas. Também se compromete a realizar reuniões bimestrais com o Sinergia CUT para negociar temas relacionados à Fundação CESP.


Agora, a nova proposta prevê que a PLR está garantida até 2011, com divulgação da meta do 1,11% do Resultado do Serviço anualmente em janeiro. Isso possibilita ao Sindicato verificar o cumprimento da meta ao longo do ano e checar os números depois da publicação do balanço. Melhor: depois de muita insistência do Sinergia CUT, a CPFL aceitou aumentar o valor da antecipação, que agora é de R$ 1.500 fixos, limitada a dois salários mais ATS, e que será paga anualmente em setembro.


Ao final da reunião, os negociadores da CPFL afirmaram que essa nova proposta é um bloco e que ‘ultrapassou os limites das empresas’.


Mais assembléias
A proposta oficial chegou ao Sindicato no final da tarde desta quinta. Diante disso, o Sinergia CUT faz mais uma rodada de assembléias em todas as localidades da CPFL Energia entre terça (29) e quinta (31) da semana que vem, para que os trabalhadores avaliem a nova proposta.


Confira a nova proposta negociada com a CPFL Energia:



  • 6,8% de reajuste para salários até R$ 4.500

  • Reajuste de R$ 306 fixos para salários entre R$ 4.500,01 e R$ 5.660

  • 5,41% de reajuste para salários a partir de R$ 5.660,01

  • VA e VR continuariam com os reajustes anteriormente propostos: 20% e 10%, respectivamente, com unificação das faixas salariais e um bônus de R$ 300 em forma de VA, pago em setembro próximo

  • 6,3% de reajuste nos demais benefícios econômicos: gratificação de férias, auxílio creche, lanche e refeição em hora extra

  • O montante para PLR passa para 1,11% do Resultado de Serviço de 2008, com antecipação de R$ 1.500 fixos anualmente em setembro, limitada a dois salários

  • Garantia da PLR até 2011, com montante de 1,11% do Resultado do Serviço e divulgação da meta anual sempre em janeiro de cada ano

  • Garantia de reuniões bimestrais com o Sinergia CUT para debater assuntos relacionados à Fundação CESP

  • Vigência do Acordo Coletivo por mais dois anos, até 2010, com manutenção de todas as demais cláusulas 

  Categorias: