Mexicanos dizem não à privatização da Pemex

14 agosto 17:13 2008

Assim como em toda a América Latina, o povo mexicano está mobilizado para defender a soberania energética do país. A consulta popular feita pela frente partidária de esquerda aponta que 85% dos mexicanos são contra a reforma proposta pelo presidente Felipe Calderón, que pretende abrir todas as atividades da estatal Pemex à participação das empresas privadas, nacionais e estrangeiras.


A tentativa de privatização da maior petrolífera da América Latina está sendo veementemente rechaçada pela população, sindicatos, movimentos sociais e pelas forças políticas progressistas do México. A consulta popular já foi feita em 11 dos 32 estados do país e prossegue nos dias 10 e 24 de agosto nas regiões sul, sudeste e norte. Mais de 800 mil mexicanos foram consultados até o momento e 85% deles disseram não à reforma privatista de Calderón.


Luta pela soberania – Na década de 30, o povo mexicano se mobilizou e nacionalizou todas as reservas de petróleo do país, criando a Pemex. A luta mexicana tornou-se referência para os demais povos da América Latina e inspirou os patriotas brasileiros a lançarem a campanha O Petróleo é Nosso, que resultou na criação da Petrobrás. Em seu discurso na solenidade de abertura do XIV CONFUP, a diretora do Sindicato de Eletricitários do México, Norma Moreno, ressaltou a importância da resistência do povo mexicano à privatização da Pemex, destacando que a classe trabalhadora deve estar sempre na vanguarda da luta pela soberania. ‘Vivemos no México 25 anos de privatização, que resultou na entrega de mais de mil empresas públicas às multinacionais, como telefônicas, ferrovias, minas, portos, aeroportos e bancos. Agora, estão privatizando a indústria elétrica e querem fazer o mesmo com a nossa maior estatal que é a Pemex’, revelou a sindicalista. Atualizado em (Leonardo Severo)

  Categorias: